Os 14 maiores clubes do futebol brasileiro por suas dívidas

Você sabe qual é a real situação financeira do seu clube?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Você é um torcedor exigente?

A gente vem falando a algum tempo que a situação do futebol brasileiro é preocupante. Da base ao profissional, dos times pequenos à seleção, a lista de problemas é extensa a perder de vista.

Estamos diante de um cenário onde a CBF, falida moralmente, fica cada vez mais rica enquanto os clubes, pilares de todo o sistema, estão falindo. Depois de muito falar sobre o topo da pirâmide chegou a hora de dar um passo adiante e começar a olhar para o próprio quintal.

Por isso, eu te pergunto novamente: você é um torcedor exigente?

Mais do que olhar para a posição dele na tabela, você sabe qual é a real situação financeira do seu time? Como anda o trabalho na base? A infraestrutura do clube é boa? Os profissionais que trabalham nele são honestos? A marca está expandindo internacionalmente?

Nenhuma dessas coisas ganha título (pelo menos não diretamente) e com certeza você não vai sair por aí se vangloriando de ser um bom pagador (pelo menos não por enquanto) quando está na fila de títulos há mais de 15 anos. Porém, hoje, numa daquelas brincadeiras com fundo de verdade, vamos analisar as receitas e dívidas de 14 dos maiores clubes do futebol brasileiro e classificá-los por sua real condição financeira.

Os números utilizados foram retirados do estudo publicado pelo Lance! e compilado pela ESPN realizado pelo especialista em marketing e gestão esportiva Amir Somoggi que tem uma carreira de mais de 15 anos acompanhando a gestão dos principais clubes brasileiros. Vale citar que existem outros estudos publicados que levam em consideração outros valores, mas estes não foram utilizados aqui.

14. Coritiba

Dos 14 clubes da lista, o Coritiba é quem menos deve dinheiro na praça. Mas isso não significa nem de longe que o valor é desprezível, pelo contrário. Segundo o estudo, o valor devido ao final de 2015 era de R$ 226,1 milhões.

Mas o que realmente deve preocupar torcedores e dirigentes do Coxa é que o valor arrecadado no ano passado não passou dos R$ 80,5 milhões (descontadas transferências de jogadores), também o último da fila dos 14 clubes da lista. Com pouca arrecadação, o clube aumentou sua dívida em R$ 16,5 milhões, isso porque a adesão ao Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro) perdoou R$ 20,6 milhões da dívida do Coritiba, caso contrário, o rombo em 2015 teria sido muito maior.

Com esse cenário, fazendo algumas projeções, ainda que o Coritiba topasse reservar 20% de sua receita anual apenas para pagar dívidas, seriam necessários 14 anos para quitá-la.

Valor da Dívida: R$ 226,1 milhões.

Faturamento total: R$ 85,7 milhões.

Direitos de TV: R$ 38 milhões.

Transferências: R$ 5 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 8 milhões.

Balanço 2015: - R$ 16,5 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 14 anos. 

13. Atlético/PR

A situação do Atlético/PR é bem semelhante a do grande rival. Com uma dívida um pouco maior no valor de R$ 248,3 milhões, os números podem até enganar quando o balanço divulgado pelo clube aponta R$ 158 milhões em faturamento no ano de 2015. Mas basta ir um pouco mais a fundo para perceber que R$ 60 milhões desse montante, o equivalente a 38%, foram originados de transferências de jogadores.

Quando descontamos esse valor muito variável do total, percebemos que o Atlético precisaria de 13 anos reservando 20% do faturamento para quitar totalmente a dívida.

Porém, a condição financeira do Furacão tem uma particularidade. O Atlético inclui no seu balanço o valor total devido aos bancos por empréstimos assumidos para a reforma da Arena da Baixada - uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. Tal prática transforma a dívida bancária do clube na maior da lista, porém, nem todos os pagamentos são de responsabilidade do Atlético, já que a prefeitura de Curitiba e o governo do estado do Paraná também fazem parte do consórcio. Por esse motivo, estima-se que a dívida real do Atlético/PR é de "apenas" R$ 66 milhões. 

Valor da Dívida: R$ 248,3 milhões.

Faturamento total: R$ 158 milhões.

Direitos de TV: R$ 31 milhões.

Transferências: R$ 60 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 7 milhões.

Balanço: R$ 45,8 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 13 anos.

12. Internacional

Já a situação do Internacional é bem diferente. Além da dívida de R$ 281,6 milhões, o clube não inclui na conta os valores relativos a reforma do Beira Rio já que adotou um método diferente de administração de sua arena, a exemplo do Corinthians.

Considerando apenas o valor divulgado pelo clube, os colorados se encontram numa situação mais confortável do que a maioria de seus adversários. O clube conseguiu boas arrecadações com direitos de transmissão e patrocínio.

Mas se considerarmos que o Inter foi o terceiro que mais lucrou com a venda de jogadores na temporada passada e que ainda teve um perdão de R$ 47 milhões na sua dívida devido à adesão ao Profut, o balanço positivo de R$ 27,6 milhões não significa lá grande coisa, pelo contrário, sem essas receitas em 2016, o resultado pode ser assustador.

De qualquer forma, se for capaz de manter esse patamar e reservar 20% de sua receita para o pagamento das dívidas, o Inter poderia quitá-la em 7 anos. 

Valor da Dívida: R$ 281,6 milhões.

Faturamento total: R$ 297,1 milhões.

Direitos de TV: R$ 73 milhões.

Transferências: R$ 94 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 35 milhões.

Balanço: R$ 27,6 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 7 anos. 

11. Cruzeiro

A exemplo do Internacional, o Cruzeiro tem uma dívida na casa dos R$ 290 milhões e lucrou muito com a venda de jogadores. Foram mais de R$ 142 milhões arrecadados com o desmanche do time bicampeão brasileiro.

Porém, uma parte do balanço financeiro do clube permanece mal explicada. Segundo os números oficiais, foram arrecadados R$ 133 milhões com direitos de transmissão em 2015, um aumento de 101% em relação ao ano passado. Tal valor sem precedentes na história do clube superou também todos os rivais, incluindo Flamengo e Corinthians, acostumados com a ponta de cima da tabela. Soma-se a isso o fato do Cruzeiro, ao contrário de todos os outros clubes brasileiros, ter aumentado sua dívida fiscal mesmo aderindo ao Profut.

No fim das contas, o clube ainda apresentou déficit de R$ 25,8 milhões e acumulou o quinto resultado negativo consecutivo totalizando um aumento na dívida de R$ 131,4 milhões apenas de 2011 a 2015, durante a gestão do atual presidente Gilvan Tavares.

Como boa notícia aos cruzeirenses, resta dizer que boa parte da dívida da Raposa segue sendo tributária e já está negociada em suaves prestações ao longo dos próximos 20 anos. Além disso, mesmo descontando a receita extravagante com a venda de jogadores, o Cruzeiro conseguiria quitar o total devido em 6 anos e meio apenas reservando 20% da receita anual para tal.

Valor da Dívida: R$ 290 milhões.

Faturamento total: R$ 363,8 milhões.

Direitos de TV: R$ 133 milhões.

Transferências: R$ 142 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 21 milhões.

Balanço: - R$ 25,8 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 6,5 anos. 

10. São Paulo

O São Paulo, por sua vez, a exemplo do Cruzeiro, viu sua dívida disparar nos últimos anos. De 2011 pra cá, o montante pulou de R$ 158,5 milhões para os atuais R$ 359,4.

O sintoma de que o clube paulista vai mal das pernas é que o déficit do último ano foi de R$ 72,5 milhões e mesmo assim o número foi bem melhor do que o apresentado na temporada anterior. Porém, tal fator "positivo" se deve ao alto valor arrecadado com a venda de jogadores. Depois do próprio Cruzeiro, o São Paulo foi quem mais lucrou com tal artifício rompendo a barreira dos 100 milhões.

O que mais deve preocupar o torcedor são paulino é que grande parte da dívida do clube é relativa a empréstimos bancários e esse tipo de dívida é a que tem os juros mais altos e as garantias mais abusivas. Dessa maneira, o clube pode ter receitas futuras comprometidas de uma hora pra outra.

Porém, se os dirigentes tricolores conseguirem reverter a situação de déficit e passarem a reservar 20% do que arrecadam sem a venda de jogadores para pagar a dívida, o clube conseguiria quitá-las em 8 anos.

Valor da Dívida: R$ 359,4 milhões.

Faturamento total: R$ 330,9 milhões.

Direitos de TV: R$ 84 milhões.

Transferências: R$ 109 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 20 milhões.

Balanço: - R$ 72,5 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 8 anos. 

9. Palmeiras

Segundo o relatório produzido por Amir Somoggi, a dívida total do Palmeiras é de R$ 409,7 milhões. Mas apesar dela ser maior do que a do rival São Paulo, a situação alviverde é muito mais tranquila. Isso porque o clube conseguiu dar um salto consistente em arrecadação nos últimos anos.

No ano de 2015, o Palmeiras arrecadou R$ 351,5 milhões. Tal valor é o terceiro maior dentre todos os clubes brasileiros (atrás de Flamengo e Cruzeiro), mas quando descontamos os valores obtidos com a venda de jogadores para efeito de análise, o clube paulista passa a ser o segundo melhor com ampla vantagem para os demais.

O fator positivo está muito associado a grande receita que o clube vem tendo com dois importantes pilares das finanças: bilheteria e patrocínios. Mesmo com anos de recessão econômica, o Palmeiras conseguiu encontrar bons patrocinadores (é o segundo colocado no ranking) e aumentar e muito sua arrecadação com venda de ingressos/plano de sócio torcedor, graças ao seu novo estádio. Além disso, o presidente Paulo Nobre fez empréstimos ao clube com juros baixíssimos e possibilitou um alívio nas contas alviverdes.

Por conta disso tudo, a situação do clube é a mais confortável dentre todos no ranking e o Palmeiras seria capaz de quitar suas dívidas em 6 anos. Vale citar também que o clube foi o único da lista a não aderir ao Profut, portanto não teve descontos de renegociação no seu balanço, e ainda assim apresenta a menor dívida tributária dentre todos os paulistas.

Valor da Dívida: R$ 409,7 milhões.

Faturamento total: R$ 351,5 milhões.

Direitos de TV: R$ 88 milhões.

Transferências: R$ 13 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 70 milhões.

Balanço: R$ 10,6 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 6 anos.

8. Santos

Apesar de ter uma dívida muito semelhante a do Palmeiras em valores absolutos, a situação do Santos é bem mais delicada. O clube deve R$ 409,9 milhões, mas não tem tais valores bem equacionados tampouco uma perspectiva positiva.

No exercício de 2015, o clube apresentou um déficit recorde de R$ 78,2 milhões. Isso porque o Peixe aderiu ao Profut e teve uma parte da dívida perdoada, caso contrário, o prejuízo estimado teria ultrapassado os R$ 116 milhões.

O que preocupa é que o Santos não consegue aumentar suas receitas e vem tendo quedas de arrecadação desde 2012. Com pouco dinheiro vindo com bilheteria e patrocinadores, o clube se acostumou a tirar de onde não tinha para manter o patamar do time no mesmo nível dos rivais e acabou fazendo negócios desastrosos como o fatídico caso do atacante Leandro Damião. Como resultado, o Santos é um dos dois únicos clubes que gastou, apenas com o futebol, mais do que tudo que arrecadou no ano passado.

Apesar de tantas notícias ruins, a nova diretoria vislumbra um futuro melhor e vem cumprindo a promessa de praticamente não vender jogadores - foram "só" 11 milhões arrecadados assim - além de fazer contratações praticamente "de graça". Dessa forma, se o clube conseguir reverter o déficit e reservar 20% do que arrecada para pagar a dívida poderá quitá-la em 13 anos. 

Valor da Dívida: R$ 409,9 milhões.

Faturamento total: R$ 169,9 milhões.

Direitos de TV: R$ 86 milhões.

Transferências: R$ 11 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 22 milhões.

Balanço: - R$ 78,2 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 13 anos. 

7. Grêmio

Situação muito parecida vive o Grêmio. Com a dívida na casa dos R$ 422,5 milhões, o time gaúcho também gastou mais com o futebol do que o total que arrecadou no último ano. Dessa forma, o balanço financeiro apontou prejuízo de R$ 37,6 milhões.

No último ano, o Grêmio precisou se desfazer de grandes salários e montou um time mais modesto. Por sorte ou competência, depois da demissão do técnico Felipão, Roger Machado conseguiu emplacar bons resultados e diminuiu a pressão sobre a equipe. Porém, apesar das medidas de austeridade, as receitas do Grêmio caíram e os custos aumentaram principalmente por conta do pagamento de rescisões e outros compromissos assumidos.

Nos últimos cinco anos, a dívida do clube subiu 11%, mas o presidente Romildo Bolzan assegura que em três ou quatro anos a situação estará equacionada. A esperança fica por conta da arrecadação com a bilheteria da nova Arena. Dessa forma, o Grêmio pode reverter o quadro e quitar sua dívida em até 12 anos.

Valor da Dívida: R$ 422,5 milhões.

Faturamento total: R$ 190,6 milhões.

Direitos de TV: R$ 80 milhões.

Transferências: R$ 16 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 35 milhões.

Balanço: - R$ 37,6 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 12 anos. 

6. Corinthians

O Corinthians é mais um daqueles casos difíceis de explicar. Campeão brasileiro com grande arrecadação de patrocínio, bilheteria e direitos de transmissão, o clube é justamente quem apresentou o pior déficit dentre os 14 da lista: R$ 97,1 milhões de prejuízo no ano de 2015.

O montante contribui para uma dívida total de R$ 452,7 milhões, a maior dentre os paulistas e a sexta maior do país. Isso porque o clube não inclui no seu balanço a dívida com o estádio, com certeza, a maior preocupação do clube.

O que alivia a barra do Corinthians é que grande parte do valor devido é fiscal e com a adesão ao Profut, a questão já foi negociada. Patrocinado pela Caixa Econômica Federal, o timão tem mais um motivo para seguir o acordo na risca.

Fazendo isso, o Corinthians pode aproveitar a posição privilegiada em termos de arrecadação para sanar sua enorme dívida em 9 anos.

Valor da Dívida: R$ 452,7 milhões.

Faturamento total: R$ 298,4 milhões.

Direitos de TV: R$ 122 milhões.

Transferências: R$ 52 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 67 milhões.

Balanço: - R$ 97,1 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 9 anos. 

5. Fluminense

Com uma dívida de R$ 461,9 milhões, a situação do Fluminense é bastante delicada. A única notícia positiva para seus torcedores é que ao contrário do tricolor paulista, o tricolor carioca tem uma dívida bancária muito pequena. A maior parte do montante são dívidas fiscais.

Porém, o clube tem muita dificuldade para gerar mais receita, principalmente quando não tem à disposição o Maracanã como vem acontecendo bastante nos últimos anos. No estádio, o tricolor costuma arrecadar bem mais em bilheteria do que vem conseguindo agora.

Quando calculamos o tempo necessário para quitar a dívida e temos como resultado 16 anos percebemos que a situação é delicada. A diretoria do clube já parece ciente das limitações e vem tomando medidas para sanar o problema. O fechamento do balanço financeiro de 2015 em superavit é um alento já que o clube acumulou quase R$ 320 milhões de prejuízo desde 2004.

Valor da Dívida: R$ 461,9 milhões.

Faturamento total: R$ 180,3 milhões.

Direitos de TV: R$ 67 milhões.

Transferências: R$ 37 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 28 milhões.

Balanço: R$ 31,8 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 16 anos. 

4. Vasco

O Vasco, atualmente na segunda divisão, tem a quarta maior dívida do futebol brasileiro. Mas alegre-se torcedor vascaíno porque a situação já foi pior. Com um balanço positivíssimo no ano passado de R$ 119,8 milhões, o clube reduziu sua dívida e chegou ao valor de R$ 467,6 milhões.

O risco que o cruz maltino corre é de perder receitas no ano de 2016 por conta da passagem pela segunda divisão. Com um estádio que não permite grandes arrecadações, a esperança do clube é manter um elenco de baixo custo e manter os patrocinadores interessados.

Cumprindo tudo isso à risca, o presidente Eurico Miranda poderá amortizar a dívida do clube mais ainda e quem sabe mantê-la dentro do prazo de 13 anos. O que ainda é bastante preocupante, mas já dá uma certo alento se comparado aos rivais cariocas.

Valor da Dívida: R$ 467,6 milhões.

Faturamento total: R$ 189,7 milhões.

Direitos de TV: R$ 104 milhões.

Transferências: R$ 5 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 36 milhões.

Balanço: R$ 119,8 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 13 anos. 

3. Atlético/MG

O Atlético/MG é o estrangeiro intruso num perigoso top 5 dominado pelos clubes cariocas. O Galo que vem colecionando bons resultados em campo nos últimos anos, também vem acumulando dívidas fora dele.

É bem verdade que o tamanho do prejuízo diminuiu e as receitas aumentaram. Se em 2015 o clube arrecadou R$ 244,6 milhões e ficou R$ 11,9 milhões no vermelho, em 2014 o prejuízo foi de R$ 48,4 milhões diante de uma arrecadação de R$ 178,4. Porém, o clube precisa entrar logo no azul para ser capaz de começar a amortizar sua dívida.

Se o clube conseguir manter o faturamento (sem transferências) na casa do R$ 200 milhões e reservar 20% para quitar suas dívidas, o saldo deve chegar a zero em 12 anos.

Valor da Dívida: R$ 496,5 milhões.

Faturamento total: R$ 244,6 milhões.

Direitos de TV: R$ 114 milhões.

Transferências: R$ 37 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 16 milhões.

Balanço: - R$ 11,9 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 12 anos. 

2. Flamengo

Dono da segunda pior dívida do futebol brasileiro, a situação do Flamengo é... boa! Tal fenômeno pode ser explicado em grande parte pelo simples motivo de que, até ano passado, o Flamengo era quem mais devia por aí.

Com dois anos de superávit seguidos, o rubro negro foi o único clube que se preocupou realmente em diminuir a dívida. E fez isso muito bem. Com um balanço financeiro positivo em mais de R$ 130 milhões (o melhor do país), o clube saiu de uma dívida de R$ 627 milhões para os atuais R$ 579,3.

Mais do que isso, os flamenguistas estão no topo da arrecadação nacional (sem transferências), arrecadaram R$ 15 milhões a mais em patrocínio do que o Palmeiras (segundo colocado) e só ficaram atrás do estranho caso do Cruzeiro quanto a direitos de transmissão. Para finalizar, mesmo sem o Maracanã, a torcida não deixa o clube na mão e a arrecadação com bilheteria não é nada mal.

Por todos esses motivos, o Flamengo mesmo com uma dívida astronômica caminha a passos largos para quitá-la até antes dos 8 anos calculados. 

Valor da Dívida: R$ 579,3 milhões.

Faturamento total: R$ 355,6 milhões.

Direitos de TV: R$ 128 milhões.

Transferências: R$ 12 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 85 milhões.

Balanço: R$ 130,5 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 8 anos. 

1. Botafogo

Mas se tem alguém que deve ficar realmente preocupado é o torcedor do Botafogo. O clube tem disparado a maior dívida do Brasil, o montante chega a R$ 731,1 milhões, e as receitas não aumentam.

Sem poder jogar no Engenhão, o Botafogo, de volta a série A, vem apresentando os piores públicos do Campeonato Brasileiro. Soma-se a isso o fato do clube arrecadar muito pouco com direitos de transmissão, patrocínio e até com transferência de jogadores e o resultado é a segunda pior arrecadação da lista: R$ 121 milhões (a frente apenas do Coritiba).

E a diretoria do clube vem fazendo o que pode, depois de um déficit absurdo em 2014 de R$ 174,8 milhões, o Botafogo deu lucro de R$ 108,8 milhões em 2015. Mesmo assim, se o clube da estrela solitária só conseguir reservar 20% de sua receita para o pagamento da dívida seriam necessários longos 33 anos para quitá-la.

Valor da Dívida: R$ 731,1 milhões.

Faturamento total: R$ 121 milhões.

Direitos de TV: R$ 54 milhões.

Transferências: R$ 11 milhões.

Patrocínio e Publicidade: R$ 10 milhões.

Balanço: R$ 108,8 milhões.

Tempo necessário para quitar a dívida: 33 anos.

***

E aí? Seu time está indo bem ou mal? Parece que ainda temos muitas coisas pra arrumar em casa antes de começar a cobrar os vizinhos.


publicado em 19 de Junho de 2016, 11:30
Breno franca jpg

Breno França

Editor do PapodeHomem, é formado em jornalismo pela ECA-USP onde administrou a Jornalismo Júnior, organizou campeonatos da ECAtlética e presidiu o JUCA. Siga ele no Facebook e comente Brenão.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: