Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Os 46 anos do medley de Abbey Road

Aquele que começa com You Never Give Me Your Money e termina com Her Majesty (mas podia ser The End).

Abbey Road, uma das obras primas dos Beatles, com aquela capa linda e tudo, completa 66 anos neste final de semana. Último gravado (apesar de penúltimo lançado) e genialmente orquestrado e produzido por George Martin, o disco traz um dos medley mais redondos da música. Aquele que começa com You Never Give Me Your Money e termina com Her Majesty.

Nunca é demais lembrar que antes desse medley são reproduzidas simplesmente Come Together, Something, Oh Darling e Here Comes The Sun. Uma sutil e potente introdução para uma sequência que até hoje é repercutida como as canções inacabadas de John Lennon - talvez uma das grandes contribuições de Paul nos Beatles.

 

Das nove músicas, três foram escritas por Lennon: Sun King, Mean Mr. Mustard e Polythene Pam. Coube a Paul e George Martin as finalizarem, já que John não era mais visto nos estúdios - voltaria apenas uma vez, para gravar uma faixa de Let It Be

Nesse process de transição, surgiu umas das mais poderosas canções dos Beatles. A que marca o fim. A própria The End, de Paul.

The End é a última pá de terra na cova dos Beatles. Ela não só encerra o disco como também anuncia a separação. Possui solo de todos. Os 16 segundos de bateria de Ringo - um dos primeiros de bateria da história do rock, afirmam -, e os de guitarra de Lennon, Paul e George, nessa ordem.

Em 1980, durante entrevista para a Playboy, Lennon reconheceu a autoria de McCartney para The End. "Isso é Paul de novo... Ele tinha uma linha própria, uma linha muito cósmica, filosófica. O que prova mais uma vez que, se ele quiser, ele pode pensar", provocou.

 

Lennon falava especificamente do verso final: "and in the end, the love you take is equal to the love you make".

“E no fim, o amor que você leva é igual ao amor que você faz".

Abbey Road, amigos. Quarenta e seis aninhos, mas segue nos ensinando coisas bonitas. 


publicado em 25 de Setembro de 2015, 19:53
File

Fred Fagundes

Fred Fagundes é gremista, gaúcho e bagual reprodutor. Já foi office boy, operador de CPD e diagramador de jornal. Considera futebol cultura. É maragato, jornalista e dono das melhores vagas em estacionamentos. Autor do "Top10Basf". Twitter: @fagundes.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura