A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Os textos mais lidos no PapodeHomem em 2013

O PdH foi tra-ba-lho

Muricy Ramalho, muito orgulhoso dos editores do PdH
Muricy Ramalho, muito orgulhoso dos editores do PdH

Editorial, operacional e financeiramente. Abaixamos a cabeça, focamos no que realmente importava e as peças se encaixaram. Jader e Luciano foram monstros do conteúdo, articulando uma rede de autores em expansão crescente, nos permitindo oferecer cada vez mais conversas dignas do tempo de vocês. Cambiaghi orquestrou a relação com os clientes e Felipe foi um cavalo ao fechar negócios.
Guilherme -- 7 anos.

Os trezentos e sessenta e cinco dias no PapodeHomem nesse ano de mil novescentos e dois mil e treze foram sempre pegados, colando na sola do tênis, lambendo o chão quente prontos para nos pegar de jeito.

Não foi um ano fácil. Mas também não foi um ano desgostoso. Foram diversos textos, quase mil pra ser mais exato, deliciosos de editar, de pautar, de escrever. não tem nenhum texto meu ou do Luciano ou do Guilherme entre os mais lidos do ano, o que mostra que nossa capacidade como editores está afiada ou, no mínimo, em dia. Abrimos espaço para que os nossos autores mandassem as melhores coisas que poderiam escrever em seus momentos.

Deu certo.

Democraticamente, temos aqui embaixo os dez textos mais lidos do PdH. São as postagens que mais deram acesso, o reflexo do que foi clicado pelas mais de 16 milhões de pessoas que nos leram. A lista aqui de baixo é de vocês para vocês.

1. Como se sente uma mulher, por Claudia Regina (1,098,359)

"Aconteceu ontem. Saio do aeroporto. Em uma caminhada de dez metros, só vejo homens. Taxistas do lado de fora dos carros conversando. Funcionários com camisetas “posso ajudar?”. Um homem engravatado com sua malinha e celular na mão. Homens diversos, espalhados por dez metros de caminho. Ao andar esses dez metros, me sinto como uma gazela passeando por entre leões. Sou olhada por todos. Medida. Analisada. Meu corpo, minha bunda, meus peitos, meu cabelo, meu sapato, minha barriga. Estão todos olhando."

Aconteceu ontem. Saio do aeroporto. Em uma caminhada de dez metros, só vejo homens. Taxistas do lado de fora dos carros conversando. Funcionários com camisetas “posso ajudar?”. Um homem engravatado com sua malinha e celular na mão. Homens diversos, espalhados por dez metros de caminho. Ao andar esses dez metros, me sinto como uma gazela passeando por entre leões. Sou olhada por todos. Medida. Analisada. Meu corpo, minha bunda, meus peitos, meu cabelo, meu sapato, minha barriga. Estão todos olhando.

2. 7 melhores desenhos animados para adultos, por Rodolfo Viana (300,111)

Gatinhos, ratinhos, tudo muito bonitinho… Mas não para todos os gostoso ou idades. Pensando nisso, algumas mentes sórdidas têm feito história com desenhos animados destinados a adultos. Cheios de piadas grosseiras, palavrões, putaria e violência, gente como Seth MacFarlane, Seth Green, Matthew Senreich, o pessoal da MAD TV, a galera do Adult Swim e tantos outros mudaram o paradigma do que é desenho animado para adultos: entre um exagero aqui e uma pitada de nonsense ali, eles perpassam alguns pontos bastante comuns da vida de “gente grande”.

Gatinhos, ratinhos, tudo muito bonitinho… Mas não para todos os gostoso ou idades. Pensando nisso, algumas mentes sórdidas têm feito história com desenhos animados destinados a adultos. Cheios de piadas grosseiras, palavrões, putaria e violência, gente como Seth MacFarlane, Seth Green, Matthew Senreich, o pessoal da MAD TV, a galera do Adult Swim e tantos outros mudaram o paradigma do que é desenho animado para adultos: entre um exagero aqui e uma pitada de nonsense ali, eles perpassam alguns pontos bastante comuns da vida de “gente grande”.

3. [18+] Guia ilustrado do sexo anal, por Lasciva (282,547)

anal1

 

Tabu para um, fetiche para outros. Há quem morra de medo e não falta quem enlouqueça de vontade. Comer o rabo delas é uma das fantasias masculinas mais recorrentes. E não é para menos. A musculatura do ânus é mais firme, ou seja, ele é mais apertadinho. Há, ainda, o fascínio pelo proibido, o tesão pela novidade. Mas se você, rapaz, deseja adentrar ali atrás – faça por merecer. O cu deve ser conquistado.

4. Por que as mulheres não estão loucas, por Yashar Ali (215,918)

woman

 

Você é tão sensível. Tão emocional. Tão defensiva. Você está exagerando. Calma. Relaxe. Pare de surtar! Você é louca! Eu estava só brincando, você não tem senso de humor? Você é tão dramática. Deixa pra lá de uma vez!
Soa familiar?

5. O seu estilo de vida já foi projetado, por David Cain (205,118)

1243975-620x648

 

Desde o momento em que o emprego foi oferecido a mim, eu fiquei notavelmente mais descuidado com o meu dinheiro. Não burro, só pensando um pouco menos na hora de puxar a carteira. Pequeno exemplo: estava comprando cafés caros de novo, apesar deles não serem minimamente tão bons quanto os excepcionais cafés brancos comuns da Nova Zelândia, e de eu não poder apreciá-los no pátio ensolarado de um café. Quando estava viajando, estas compras eram menos descuidadas, e eu as aproveitava melhor.
Não estou falando de compras grandes e extravagantes. Estou falando de gastos casuais, promíscuos, de pequena escala, em coisas que não acrescentam muito na minha vida. E olha que eu só vou receber daqui a duas semanas.

6. Cavalheirismo é machismo, por Alex Castro (198,292)

125333-large-7_land_yacht-620x365

 

Só pode existir cavalheirismo em uma sociedade já profundamente, inerentemente machista. Não é possível ser cavalheiro sem ser machista.
Vamos começar definindo:
Cavalheirismo é ser gentil com mulheres. Andar entre sua mulher e a rua, caso passe um caminhão por cima de uma poça. Abrir a porta para as damas. Se oferecer para ajudar quando vê uma moça carregando uma mala pesada. Pagar a conta do restaurante e, especialmente, a do motel.
O machismo reside justamente em só fazer essas coisas pelas mulheres.

7. [18+] Nudez masculina: o mal-estar, por João Baldi (151,142)

christopher-meloni-brian-bloom-naked-shower

 

Ou seja, vivemos em um contexto no qual bundas e peitos de garotas aparecem em todos os lugares, mas para topar com a bunda de um cara sem estar assistindo a uma série gay, ela precisa vir acompanhada de um aprofundado contexto histórico ou se passar num universo onde também existem dragões.

8. Você não precisa namorar (ou noivar, ou casar ou qualquer coisa assim), por João baldi (120,164)

ku-xlarge-620x332

 

9. Contra o aumento das tarifas de ônibus: o protesto que eu não vi pela TV, por Bruno Passos (115,288)

foi2

Eu poderia culpar a mídia, o anão manipulador, a policia, os V de vingança que ficaram depois do fim da passeata pra fazer sabe-se lá o que. Mas nada disso iria ajudar em coisa alguma.
Não fui lá para encontrar culpados, mesmo porque, os verdadeiros culpados não estavam por lá. Fui porque não aguentava mais gritar e não ter voz. Fui por mim, pelo meu vizinho, pelo tiozinho da padoca. Fui principalmente, para tirar minhas próprias conclusões.

10. Pornografia no Japão, por Daniel Oshiro (91,665)

eisen_27917-620x446

Todos sabem que Japão é o país de mecha, tentáculos, Internet rápida e vending machines. E, claro, a pornografia consegue juntar tudo isso em um só.
Apesar de, no Japão, ser censurada (desde 1907) qualquer exibição de órgãos sexuais (não, cu não é orgão sexual, pelo menos não pra eles) em imagens e vídeos. Todos os filmes produzidos e distribuídos por lá sofrem de censura, mas alguns distribuídos pela Internet não são censurados, pois tecnicamente não são para o mercado japonês.

A pergunta que fazemos

Nossa comunidade, mais do que acessos, também nos dão boas conversas e ótimos direcionamentos.

Sem isso, a coisa seria outra, por completo. Então, queremos saber da nossa rede quais foram as publicações mais interessantes desse ano e onde foi que erramos feio. Queremos saber quais leituras foram gostosas, quais autores mandaram bem, quais séries valeram a pena acompanhar?

Amanhã, em 2014, queremos ver o que teremos nos comentários aqui embaixo.

nos vemos lá.


publicado em 30 de Dezembro de 2013, 22:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura