Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 5 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

Por que os casamentos duravam antigamente

Hoje em dia as revistas como Nova e Marie Claire ensinam coisas às mulheres como técnicas avançadas de sexo, como lidar com dois namorados ao mesmo tempo e nunca ser submissa.

Uma verdadeira danação. Há poucas décadas atrás, na época de nossos pais e avós, a história era outra.

Frases retiradas de revistas femininas das décadas de 50 e 60:

"Não se deve irritar o homem com ciúmes e dúvidas". (Jornal das Moças,

1957)

"Se desconfiar da infidelidade do marido, a esposa deve redobrar seu

carinho e provas de afeto, sem questioná-lo". (Revista Claudia, 1962)

disciplina
Bons tempos...

"A desordem em um banheiro desperta no marido a vontade de ir tomar

banho fora de casa". (Jornal das Moças, 1965)

"A mulher deve fazer o marido descansar nas horas vagas,servindo-lhe

uma cerveja bem gelada. Nada de incomodá-lo com serviços ou notícias

domésticas". (Jornal das Moças, 1959)

"Se o seu marido fuma, não arrume briga pelo simples fato de cair

cinzas no tapete. Tenha cinzeiros espalhados por toda casa". (Jornal das

Moças, 1957)

"O noivado longo é um perigo, mas nunca sugira o matrimônio. ELE é quem

decide - sempre". (Revista Querida, 1953)

casal-antigo
Observem a alegria e o brilho nos olhos da esposa obediente, uma rainha do lar

"Sempre que o homem sair com os amigos e voltar tarde da noite, espere-o

linda, cheirosa e dócil". (Jornal das Moças, 1958)

"É fundamental manter sempre a aparência impecável diante do marido".

(Jornal das Moças, 1957)

E para finalizar...

"O lugar de mulher é no lar. O trabalho fora de
casa masculiniza". (Revista Querida, 1955)

CONCLUSÃO:

Não se fazem mais revistas instrutivas como antigamente.


publicado em 10 de Novembro de 2007, 09:57
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura