Leia mais de 20 textos sobre masculinidades no canal de Natura Homem no PdH.

Quando você deixa de ser menino e vira homem

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Advertisement
    130x50 jpg

Não existe um momento técnico, datado ou premeditado que expressa: “Deu, filhão. Vai. Você já é um homem”.

Mas existem, sim, arquétipos sensitivos que traduzem essa transição. Sejamos francos: esse timing point não se explica. É percebida uma necessidade de ação e deixar os sonhos de lado. Quando crescemos, cada vez sonhamos menos. O brilhantismo e ar singelo de um desejo fadado em qualquer madrugada ou trânsito vira necessidade de realização.

O homem, alguém disse, não pode sonhar. Mas há um lado interessante em qualquer sonho. Pode ser uma característica bastante próxima da classificação literal do termo supérfluo, mas, para o próprio, torna-se um simples motivo de orgulho solitário. É um talento necessário para manter a auto-estima respirando e, quando ainda criança, compartilhar uma sintomática esperança de utilização dessa vantagem em algum momento importante da vida.

É tipo tocar violão e uma paixão. Esse é um ótimo exemplo. Todo menino teve uma paixão. Toda paixão de menino teve uma música favorita. E todo menino se imaginou no meio de uma roda surpreendendo sua paixão tocando a música preferida dela estilo #likeaboss. O problema é: você não sabe tocar violão e nem procura aprender.Então, pra que se torturar?

É o brilho do sonho e a merda do lado sonhador.

Por Gustavo Gitti

Não existe uma formula mágica ou modo operante de concretizar um sonho. Ao mesmo tempo, poucas coisas são tão agradáveis quanto deitar a cabeça no travesseiro e ouvir sua musica preferida sonhando com uma vitoria, uma conquista ou um platônico amor. Atitudes como essa, mesmo prazerosas, são perigosas no que se diz a respeito da ilusão. Alimentar um sonho sem planejá-lo pode gerar uma decepção como jamais vista. E isso deve ficar na infância.

Você transforma-se em homem quando pratica atos que realizam os tais sonhos. O homem sobrevive realizando seus sonhos. É necessário, depois de observar a despedida da época de menino, dosar momentos de fantasia. Cada sonho precisa de um fundamento ou um sinal de alerta. Pode-se sonhar sabendo que isso jamais será possível. Mas pode-se - e é mais seguro fazer desse modo - sonhar planejando modos de concretizar um desejo requisitado.

Como? Começando pelo seu lado brilhante. Lembre-se: antes de qualquer atitude, descubra o seu lado bom. Saiba utilizar os meios e aproveitar os momentos para gerar bons relacionamentos. Possibilite alegrias, abra possibilidades e alcance metas gerenciando suas atitudes. Jamais pare. Sempre que possível - e faça o tempo estar ao seu favor -, complemente seu talento com novas opções.

Os dons são feitos para serem compartilhados.E, de preferência, gerando bons fluidos e situações para quem o executa. Saiba utilizar o seu lado brilhante. E, quem sabe, viva o seu sonho. Seja, ao crescer, um herói.

A inocência de criança precisa ficar na infância

Apenas não perca tempo. Você cresceu. Os sonhos ficaram no passado ou ainda te assombram no presente. O prazer do real é ainda melhor que aquele vivido nas fantasias.

Portanto, mova-se. Utilize as vantagens de ser um homem.

Mecenas: Schweppes

Meninos não podem mais consumir produtos da Schweppes. Exatamente: trata-se de uma decisão irrevogável e arbitrária, como devem ser as decisões.

O consumo de Schweppes está proibido para meninos. Comece sua busca para o amadurecimento, de uma vez por todas, acessando a Fan Page. Mas vá mesmo. Agindo de modo infantil você não terá vez.

Nem sonhando.


publicado em 28 de Outubro de 2011, 11:48
File

Fred Fagundes

Fred Fagundes é gremista, gaúcho e bagual reprodutor. Já foi office boy, operador de CPD e diagramador de jornal. Considera futebol cultura. É maragato, jornalista e dono das melhores vagas em estacionamentos. Autor do "Top10Basf". Twitter: @fagundes.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: