A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Seis jogadores que estavam lá, mas você não lembrava

Estar na lista de 23 jogadores convocados à Copa do Mundo é o sonho de qualquer brasileiro que um dia bateu uma bolinha num campo de terra ou asfalto sujo. Daí temos uma base da concorrência encontrada pelos profissionais. Se ir ao mundial é incrível, entrar em campo pode ser um mero detalhe.

Craques brasileiros de todas as épocas jogaram a Copa do Mundo. Pelé, Zagallo Garrincha tiveram sorte. Outros gênios da bola, como Falcão e Zico, nem tanto. Marcaram seu nome na história da Seleção Brasileira, porém não voltaram com a glória. São frustrados, talvez, com essa ausência na carreira. Não consideram a ida à Copa um título. Há quem pense diferente.

Toda Copa do Mundo vencida pelo Brasil tem um ou dois destaques individuais. Isso normalmente ofusca jogadores suplentes ou até mesmo colegas de times titulares. Quando você revisa a lista de campeões do mundo ou representantes brasileiros, se surpreende: “Ah, eu lembro desse cara...”.

Então vamos lembrar desses caras.

Oferecimento: Hyundai

Comente jogos pelo Twitter, responda ao Quiz da Copa e concorra a vale-presentes de até R$ 1.000,00.

Batista (1982)

O atual comentarista da SporTV tinha concorrência forte no meio de campo. Jogou poucos minutos na Copa do Mundo, porém foi responsável por um momento marcante.

Foi a vítima escolhida por Maradona na vitória brasileira por 3 a 1. Tomou uma solada e teve que sair do jogo. Maradona também saiu, mas expulso.


Link YouTube

Josimar (1986)

O lateral direito do Botafogo foi convocado de última hora após o corte de Leandro. Acabou sendo um dos bons nomes daquela seleção, mas caiu no esquecimento logo em seguida. Marcou dois golaços e chamou a atenção pela forma como comemorava, sempre com os dois braços para cima:

Link YouTube | Golaço!

Josimar se envolveu com drogas e acabou esquecido. Atualmente, limpo, é o Secretario de Esportes de Roraima.

Silas (1990)

O zagueiro já havia sido convocado para a Copa passada, mas ainda assim esquentou o banco no Mundial da Itália. Silas teve até certo espaço, atuando contra Suécia, Costa Rica e Argentina, mas não conseguiu exibir o bom futebol dos tempos de São Paulo.

Hoje é treinador de futebol e foi escolhido o melhor técnico do Campeonato Brasileiro de 2009. Trabalha no Grêmio.

Link YouTube | Jogo de estreia de Sillas na Copa de 1996, no lugar de Müller

Paulo Sergio (1994)

Tida como a primeira Copa do Mundo de uma enorme geração, essa edição foi marcante pelos gols de Romário, defesas de Taffarel e primeiro mundial de Ronaldo. Poucos lembram dos suplentes que fizeram parte dessa conquista. O bom meia Paulo Sérgio, que atuava no Bayer Leverkusen, não era unanimidade da torcida. Mas Parreira bancou sua ida à Copa.

Pouco jogou, tendo atuações discretas contra Suécia e os Estados Unidos. Hoje é empresário de uma empresa de eventos esportivos em São Paulo.

Zé Carlos (1998)

Zé Carlos é o exemplo máximo de jogador que caiu de paraquedas numa Copa do Mundo. O jogador foi convocado por Zagallo após uma série de cinco bons jogos pelo São Paulo. De repente, não mais que de repente, se viu estreando na semifinal contra a Holanda – Cafu teve que cumprir suspensão.

Foi uma das atuações mais pitorescas da história de um jogador brasileiro em Copas do Mundo.

Link Globo.com

Anderson Polga (2002)

O zagueiro-volante do Grêmio vinha de uma excelente Copa do Brasil, dois bons Campeonatos Brasileiros e uma interessante Libertadores da América. Revelado pelo técnico Tite, foi o melhor zagueiro do Grêmio revelado na década até então. Ganhou a confiança de Felipão marcando um gol num amistoso preparativo para a Copa.

Foi escalado contra a China na primeira fase e teve uma atuação assustadora. Não jogou mais.

Memória além dos ícones da mídia

Qual a semelhança entre Zico e Silas? Sócrates e Paulo Sergio? Falcão e Josimar? Todos jogaram uma Copa do Mundo.

E as diferenças? Alguns se contentaram com a chance de representar a seleção para milhões, outros ainda são frustrados pela ausência da gloria do título e seus históricos.

Independente, todos merecem ser lembrados. Para nenhum deles faltou empenho e representatividade digna de seleção brasileira. Vencedores, de uma maneira ou outra.

...

Torcida organizada Hyundai

Nota do editor: a Hyundai bolou um aplicativo para você instalar no seu perfil do Orkut. Além de desafios como o Quiz da Copa, você pode dar uma de Galvão Bueno e comentar jogos no Twitter para concorrer a vale-presentes de até R$ 1.000,00.

Se você quiser entrar no jogo, aqui está o link direto para o aplicativo.


publicado em 15 de Junho de 2010, 19:31
File

Fred Fagundes

Fred Fagundes é gremista, gaúcho e bagual reprodutor. Já foi office boy, operador de CPD e diagramador de jornal. Considera futebol cultura. É maragato, jornalista e dono das melhores vagas em estacionamentos. Autor do "Top10Basf". Twitter: @fagundes.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura