Treino físico: Missão Amazônia

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Desde que descobri minha paixão pelo treinamento físico, um ponto se tornou bem claro para mim: tudo deve ter um propósito. Funcionalidade em cada um dos exercícios que executo ou das artes marciais que treino. Esse sempre foi o foco. Me tornar um homem completo, capaz de sobreviver nas mais difíceis condições sempre foi um objetivo pessoal. Nunca entendi como alguém podia treinar com outros objetivos.

Uma das formas mais simples de se tornar um guerreiro, é trabalhar com metas tangíveis. Criar uma história que poderia ser verdade, preparar-se para situações que nenhuma outra pessoa teria coragem de ser submetida. Treinar para ser um atleta pode ser uma boa motivação, mas viajar para o deserto, escalar uma montanha ou sobreviver na selva são situações que realmente exigem um condicionamento com foco e rigidez.

Sua vida é mais importante que qualquer medalha de ouro.

Imagine então que precisamos nos preparar para sobreviver dentro da floresta amazônica, um ambiente hostil, pouco conhecido para um habitante da selva urbana. Como faríamos? Quais habilidades seriam necessárias para resistir mata a dentro? Vocês agora são meus parceiros para um treino duro, totalmente fora do convencional, que vai nos preparar para suportar condições bem difíceis.

Como eu me imagino agora

1. Correr e caminhar

Aumentar o potencial cardiorrespiratório vai ser a base do nosso treinamento.

Correr ladeira acima, descer por terrenos íngremes controlando o esforço para fortalecer as pernas, trabalhar a resistência em longas distâncias. Com a variedade de ameaças existentes em uma floresta, nunca se sabe por quanto tempo vamos precisar correr até estarmos em segurança.

Como encontraremos um terreno bem diversificado, é importante nos preparar para caminhar e correr descalços, tanto na grama como nas pedras. Não sabemos também a dificuldade de encontrar comida, então ser capaz de andar longas distâncias no calor em caso de emergência é essencial. Para esse objetivo, vamos correr 5 dias por semana, descansando apenas aos finais de semana.

2. Escalar e pendurar

Segurança é nossa prioridade. Tudo o que vamos treinar é para garantir que sairemos vivos dessa aventura. Treinar a força dos braços -- principalmente a capacidade de levantar nosso próprio peso -- pode nos livrar de vários problemas.

Teremos as árvores como nosso principal refúgio. Mesmo vários animais sendo capazes de subir pelas árvores, muitos não vão ter essa capacidade. Devemos incluir em nossa rotina exercícios com barras, ficar pendurado nas mais variadas posições pelo maior tempo possível e sermos capazes de nos erguer completamente para cima da barra. Treinaremos barras e escaladas todos os dias, aos finais de semana sairemos para escalar em rochas e árvores.

YouTube | Para ajudar escalada acima

3. Natação e fôlego

Nadar é uma das habilidades mais subestimadas que existem. Sempre achamos que sabemos nadar, mesmo quando só batemos os braços e saímos do lugar lentamente. Nadar com eficiência e velocidade exige treino e dedicação. Podemos precisar da natação atravessar um rio ou fugir de animais. Outra habilidade importante que podemos trabalhar é a apneia (prender a respiração).

Ser capaz de segurar o ar embaixo d’água por um espaço de tempo razoável pode ser útil para atravessar pontos cobertos por troncos, galhos ou pequenas cavernas. Em nosso treino vamos nadar e praticar apnéia 3 vezes por semana.

Em caso de Jacaré na água:

4. Levantamento de Peso

De forma um pouco menos convencional do que pesos de academia, levantar galhos de árvores, troncos e pedras vai nos ajudar a construir abrigo. Vamos procurar fazer séries de levantamento com os troncos e transportá-los de um lado ao outro. Também podemos fazer isso em uma série de resistência, deixando troncos a 30 metros de distancia um do outro, levantando os troncos de forma alternada, correndo de um para o outro com a maior velocidade que conseguirmos. Levantar pesos também pode nos ajudar a carregar alguém ferido no caminho.

Nesse processo de se condicionar a levantar pesos, qualquer coisa bem pesada pode servir. Pneu de trator, halteres e compras de supermercado. Qualquer peso que conseguirmos levantar fará diferença no ganho de força. O ganho de força bruta deve ser levado como uma atividade para todo instante: sempre que puder fazer uma força extra, faça.

YouTube | Construa seu abrigo

5. Resistência a adversidades

Não somos burros, então vamos estudar todos os detalhes antes da nossa viagem. Precisamos saber como estará o clima, a temperatura, umidade. Todas as informações que pudermos encontrar são importantes. Mas não podemos confiar apenas nas informações. Ainda mais na Amazônia, o clima pode mudar de um dia ensolarado para uma noite fria e chuvosa em instantes.

Vamos correr na chuva, nos acostumando com roupas molhadas; caminhar com roupas pesadas no sol quente; nos exercitar bebendo pouca água. Tudo que puder causar algum tipo de desconforto deve ser trabalhado até não nos atrapalhar mais.

Fazer trilhas em cachoeiras próximas a cidade, entrando na água com roupa e tudo vão nos ajudar a atingir esse objetivo.

Tornando o sonho real

Quando criamos histórias fictícias para nos motivar a realizar novos treinos, acabamos incorporando esse objetivo. Quando for possível, aconselho a todos a materializarem estes objetivos.

O que pode ser mais desafiador do que convidar amigos para passar as férias em uma das florestas mais misteriosas do planeta? Existem cursos para curiosos, que ensinam a sobreviver na floresta e transformam esse sonho de passar algumas semanas sobrevivendo na selva em uma realidade próxima.

Mecenas: Hotmail


YouTube

O blogueiro Nick Ellis do Digital Drops foi convidado a testar o Hotmail e encarou um desafio: colocar o Rio Amazonas inteiro dentro do SkyDrive, que está com cada vez mais espaço. Como você pode ver no vídeo, ele foi bem equipado.


publicado em 02 de Abril de 2012, 07:38
12596172 10153389055960906 1551523976 n

Alberto Brandão

É analista de sistemas, estudante de física e escritor colunista do Papo de Homem. Escreve sobre tudo o que acha interessante no Mnenyie, e também produz uma newsletter semanal, a Caos (Con)textual, com textos exclusivos e curadoria de conteúdo. Ficaria honrado em ser seu amigo no Facebook e conversar com você por email.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: