Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Três formas diferentes de produzir energia para o nosso futuro

Falar que precisamos de soluções energéticas para o futuro é fácil. Disso você já sabe. O petróleo não é infinito e está acabando, ao mesmo passo em que a nossa necessidade da energia que vem dele só tende a aumentar. É preciso encontrar novas e melhores formas de produzir energia, e sem agredir o meio ambiente.

A questão é: quem de fato está movimentando as coisas nesse sentido? Quais são as principais ações concretas nessa direção? Que caminhos reais estão sendo descobertos e pavimentados para a energia do futuro?

Selecionamos três falas fortes do TED para esclarecer isso. A seguir você vai saber mais sobre fusão nuclear e sobre os desenvolvimentos relacionados a energia eólica e solar. Só ideias do caralho, do tipo que fazem a gente desejar que o futuro chegue logo. Prepare-se para ficar energizado.

Há muita gente quebrando a cabeça para que você possa continuar usando isso aqui sem muita preocupação

1. Fusão nuclear

Steven Cowley é um físico apaixonado desde criança pela resolução do grande quebra-cabeça energético atual: é preciso recursos para produzir energia, e estes recursos estão acabando. Ele cita energia solar e nuclear como formas válidas de produzir cada vez mais energia no futuro, mas a sua real paixão é pelo processo de fusão nuclear, que usa recursos retirados do oceano e que levariam ainda 30 milhões de anos para se esgotar.

A fonte de energia perfeita, que não ocupa muito espaço, tem um estoque virtualmente infinito, é segura, não joga carbono nenhum na atmosfera e não deixa nenhum resíduo radioativo.

Mas colocar isso em prática não é tão simples – nunca é –, conforme explica Cowley em sua palestra do TED 2009:

Link TED

2. Energia eólica em altas altitudes

As turbinas eólicas estão ficando cada vez maiores, mas elas não conseguirão crescer muito mais do que já cresceram. Enquanto isso, os ventos mais fortes estão em camadas bem mais altas da atmosfera. Como usá-los para produzir mais energia limpa?

Saul Griffith tem uma ideia: construir espécies de pipas gigantes, quase como aviões não tripulados e com envergaduras comparáveis às deles, que voarão presos à terra, produzindo energia ao voar contra os ventos mais fortes que temos. Ele mesmo admite a loucura dessa ideia nos cinco minutos desta palestra rápida e concisa que ele deu no TED 2009:

Link TED

3. O esforço com a energia solar

Nesta palestra de arquivo, Bill Gross – criador do IdeaLab – fala sobre novas formas de tornar a captação de energia solar mais eficiente, usando novas tecnologias e métodos de pesquisa novas. A fala é de 2003, mas representa um esforço que segue até hoje, já que a empresa de Gross atualmente investe ou está envolvida com diversas iniciativas de desenvolvimento de energia alternativa. Alguns exemplos:

Esta última é a principal: um parque de captação de energia solar que não usa os painéis tradicionais, mas sim um campo de espelhos móveis que refletem a luz do sol de uma grande área toda diretamente para uma torre que usa o calor dessa energia para produzir vapor. Vapor esse que, por sua vez, é usado na produção de energia.

Link TED

Você conhece alguma outra iniciativa, quem sabe até brasileira, nesse sentido? Já ouviu grandes ideias de alguém a esse respeito? Compartilhe com a gente nos comentários e ajude a expandir a consciência de todos que passarem por aqui.

Mecenas: Shell | Energia 2050

A população mundial poderá atingir 9 bilhões de pessoas em 2050. Isso equivale à adicionar a China e a Índia ao planeta. Além disso, mais pessoas deixam a pobreza e compram seu primeiro refrigerador, carro ou computador. O resultado: a demanda por energia aumenta, assim como as preocupações com o meio ambiente. Em 2050 provavelmente precisaremos do dobro da energia consumida atualmente, mas com metade do CO2, se quisermos evitar uma séria mudança do clima.

O objetivo da Shell é contribuir de forma responsável para este futuro energético por meio da entrega de:

Mais energia: estamos investindo pesado no desenvolvimento de novas fontes de óleo e gás, assim como em novas tecnologias para obter mais de nossos poços de petróleo, alcançar maiores profundidades e operar em ambientes desafiadores. Em 2010, a Shell investiu US$1 bilhão em tecnologia de pesquisa e desenvolvimento, mas do que qualquer outra companhia internacional de petróleo.

Energia mais limpa: estamos produzindo mais gás natural, o que representará metade de nossa produção em 2012. Esse é o combustível fóssil mais limpo, produzindo de 50 a 70% menos de CO2 que o carvão em usinas de energia.

Energia mais inteligente: oferecendo produtos que ajudam os consumidores a “obter o máximo de cada gota” da energia que eles usam. Isso inclui o investimento em biocombustíveis, que se destacam como uma das opções de baixa emissão de CO2 mais acessíveis a curto prazo e em eficiência energética, com combustíveis como o FuelSave, que ajuda os motoristas a economizar até um litro de combustível por tanque.

Estas são algumas das maneiras com as quais estamos trabalhando para contribuir para as demandas energéticas do futuro.

Envie suas ideias, sugestões e dúvidas pelo Twitter com a hashtag #Energia2050.


publicado em 16 de Dezembro de 2011, 11:38
File

Fabio Bracht

Toca guitarra e bateria, respira música, já mochilou pela Europa, conhece todos os memes, idolatra Jack White. Segue sendo um aprendiz de cara legal.\r\n\r\n[Facebook | Twitter]


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura