Nosso documentário "O silêncio dos homens" bateu 1 milhão de espectadores! Se torne um membro da Jornada PdH e apoie nossas atividades para chegarmos em cada vez mais pessoas. A cada R$10 de apoio, impactamos 500 pessoas.

Varicocele | Você conhece a principal causa da infertilidade masculina?

Ela é a responsável por 40% dos casos em que os homens não conseguem engravidar suas parceiras

"- Varico...o quê meu filho? 
- Varicocele
pai, eu tenho varicocele!!!! Você não teve quando era jovem, pai? 
– Que bobagem meu filho, acho que esta doença é mais uma que inventaram nestes tempos modernos! "

Este curto diálogo mostra o quanto ainda existe de ignorância sobre os cuidados da saúde masculina. A varicocele é a principal causa da infertilidade masculina, mas ainda é pouco comentada. 

Há muito preconceito quanto as questões da infertilidade conjugal, afinal, ainda existe um dogma na sociedade supondo que os problemas estão relacionados a fatores femininos. Na verdade, os homens estão implicados em 50% das causas de infertilidade conjugal. 

Agora que entendemos que o homem tem uma importante parcela de contribuição no quadro de infertilidade do casal, fica mais fácil de entender a razão de falarmos sobre a varicocele.

A varicocele é caracterizada pela dilatação dos vasos testiculares

Ela é a responsável por 40% dos casos em que os homens não conseguem engravidar suas parceiras e por 80% dos casos de infertilidade em homens que já tiveram filhos, mas que não conseguem uma nova fecundação. 

Mas, calma! É Importante ressaltar que não é sempre que a varicocele causa infertilidade. Isso acontece em 20% dos homens diagnosticados — porcentagem suficientemente expressiva para se preocupar com esta doença e suas consequências na saúde reprodutiva masculina. 

Se você ainda não está convencido de como esta doença pode atrapalhar a qualidade de vida do homem (e também do casal), aqui vão mais alguns dados:

Pesquisas clínicas em homens férteis com varicocele tem mostrado que a varicocele também pode prejudicar a produção de testosterona, gerando um quadro de andropausa pela queda de produção deste hormônio pelo testículo.

Mas o que seria a varicocele? 

“Quando ela aparece? Ela causa algum sintoma, como dor? Como eu faço para detectar se eu tenho? E por que ela pode gerar infertilidade masculina?” 

A varicocele nada mais é do que um nome específico para a dilatação das veias testiculares associadas ao refluxo de sangue. Dependendo da região do organismo onde as veias estão doentes — dilatadas e com refluxo venoso —, o nome pode mudar. A mesma dilatação, quando acontece na veia das pernas, chamamos de varizes e, quando estas varizes ocorrem na região anal, chama-se então doença hemorroidária. 

Do mais leve para o mais grave, diferentes níveis de dilatação das veias testiculares.

O aparecimento das veias dilatadas nos testículos durante a puberdade ocorre pelas transformações físicas e hormonais desta fase da vida: rápido aumento dos níveis da testosterona, ganho de peso e de estatura, por exemplo. 

Em meninos com a predisposição de terem a fragilidade venosa, estas mudanças abruptas físicas e hormonais geram uma sobrecarga nas veias dos  testículos que, por sua vez, acabam dilatando e gerando o refluxo venoso. 

É muito comum o adolescente com o pai e o irmão mais velho com histórico de varicocele desenvolver a doença, mostrando também uma questão de predisposição hereditária. 

Mas como eu faço para saber se eu tenho ou não varicocele? 

Simples, basta apenas um exame físico. Numa consulta de rotina, basta que o urologista examine o paciente fisicamente e pronto. 

Como já falamos aqui no PapodeHomem, garotos adolescentes não têm o costume de ir ao urologista, e por isso, muitos casos de varicocele não são identificados na sua fase inicial. Por isso, ressaltamos aqui a importância das consultas de rotina na adolescência, afinal, é neste período da vida que a varicocele se desenvolve e se torna detectável clinicamente. 

A varicocele raramente traz algum sintoma. Só em 10% dos casos os pacientes sentem dor. Mas, alguns adolescentes se sentem envergonhados quando a varicocele é muito acentuada, pois altera a “estética” da bolsa testicular e, neste período de descobertas sexuais, acabam procurando por ajuda médica. Nestes casos, os adolescentes podem ter a varicocele detectada ainda no seu estágio inicial pelo urologista. 

Mas como uma veia dilatada gera infertilidade?

Para entendermos melhor, convido o leitor a fazer uma analogia simples: pense num motor de carro.

O testículo, tal qual um motor de um carro, precisa trabalhar sempre em uma temperatura adequada. Enquanto o motor de um carro precisa estar sempre abaixo de 100º C, o testículo para produzir bons espermatozoides precisa estar sempre a 2 ou 3º C abaixo da temperatura corporal. 

Para isso, tanto o motor de carro quanto os testículos usam um sistema de resfriamento. No testículo este é feito pelas veias testiculares saudáveis, ou seja, sem dilatação. 

Quando as veias adoecem e aparece a varicocele, este sistema de resfriamento perfeito fica prejudicado, perdendo a capacidade de diminuir a temperatura testicular. Ao trabalhar em uma temperatura mais aquecida cronicamente, o testículo não vai “ferver” (como ocorreria com um motor de um carro), mas produzirá de forma gradativa espermatozoides em menos quantidade e em pior qualidade. 

Este é o famoso estresse oxidativo, fenômeno biológico tão em moda nos dias de hoje, em que ocorre uma produção em excesso de radicais livres de oxigênio e que levam a dano e a morte celular progressiva.

Tem cura?

Claro. Felizmente existe tratamento e este é capaz de melhorar a produção de espermatozóides, tanto na quantidade como na qualidade. 

No entanto, o tratamento da varicocele é sempre cirúrgico. Não existem remédios milagrosos, vitaminas ou exercícios físicos que possam tratar a varicocele. 

Uma vez diagnosticada, o urologista precisa identificar se o paciente poderá se beneficiar do tratamento cirúrgico, afinal, como já destacamos, apenas 20% dos homens com varicocele terão prejuízo na fertilidade. O restante dos homens com a varicocele, como não terão prejuízos, não precisarão de cirurgia.

Existem algumas técnicas cirúrgicas para a correção da varicocele, porém apenas uma técnica exibe os melhores resultados, podendo reaver a fertilidade com mais segurança: a microcirurgia. Esta técnica permite ao cirurgião tratar todas as veias doentes sem danificar outros vasos testiculares, como, por exemplo, a artéria testicular, principal vaso provedor de energia e oxigênio, vital para o bom funcionamento do testículo. 

O procedimento cirúrgico demora ao redor de 3 horas, com o paciente podendo ter alta 24hs após a cirurgia. 

A varicocele é uma doença que se caracteriza por ser tempo-dependente, ou seja: quanto maior o tempo de existência, mais prejuízo ela trará para a função do testículo. Desta maneira, ir ao urologista e detectar a doença no começo, principalmente durante a adolescência, é a melhor maneira de prevenir a infertilidade na vida adulta.


publicado em 21 de Outubro de 2019, 13:52
Dr daniel jpg

Dr. Daniel Suslik Zylbersztejn

Marido da Sabrina e pai de dois meninos. Especialista em Reprodução Humana e em Infertilidade Masculina. Doutor pela UNIFESP, assessor Médico em Reprodução Humana do Laboratório Fleury e médico do Hospital Israelita Albert Einstein. Diretor médico da