Já está no ar nosso curso online de estilo “Mas você vai de chinelo?”. Inscreva-se agora! É gratuito e é pra todos os homens!

Os 4 pilares da paternidade | Vídeo

Amor, conhecimento, empatia e comunicação são imprescindíveis para acolher a cria, a companheira e a família que nasce quando um filho chega

Durante o processo de realização do projeto “O Silêncio dos Homens” — o documentário completo e os achados centrais de nossa pesquisa serão lançados em breve, mas o trailer você já pode ver aqui —, tivemos a chance de conversar com pessoas extraordinárias, com trabalhos profundos em torno das mais diversas conversas sobre as masculinidades no Brasil.

Com dezenas de horas de entrevistas, gravações e muito mais, até dói pensar que muito material precioso vai ficar de fora do corte final do documentário, que terá no máximo uma hora. O que fazer então, com essas conversas que valem ouro, sobre assuntos e diálogos que precisam acontecer na nossa sociedade? Mais conteúdo, claro.

A partir de hoje, vamos publicar aqui no portal e também no YouTube (se increva por lá para ficar atualizado) e Facebook do PapodeHomem pouco mais de 20 pílulas em vídeo que vão aprofundar temas que serão debatidos no documentário ou, ainda, apresentar alguns assuntos que infelizmente vão ficar de fora. Com o dia dos Pais chegando, nada melhor do que começar falando sobre esse tópico.

Uma das coisas que acontece quando nos tornamos pais é um processo que costumamos nomear como espelho.

Onde antes havia apenas um homem, com seus acertos, erros, medos, alegrias e anseios, passa a existir um homem-pai, que tem a chance de revisitar e refletir sobre tudo isso a cada interação com a filha ou filho, por menor que seja. Será que quero ser como meu pai era comigo? Quando eu era criança, era assim que me davam bronca ou assim que me alimentavam, me cuidavam. Pro homem que sou hoje e pro que quero ser para meu filho, faz sentido repetir ou tentar algo novo?

Digo, do lugar de quem vive essa experiência, que é algo incomodamente transformador. 

O projeto Homem Paterno, do nosso parceiro Tiago Koch, reconhece essa potência e mira nos homens que estão prestes a mergulhar nesse universo da paternidade (pode vir, a água tá quentinha!). Pai da Iara e naturólogo, ele cuida de homens — e das famílias, por consequência — durante o período gestacional e pós gestação. Durante cursos, práticas e vivências, ele identificou quatro pilares que considera essenciais para o exercício saudável da paternidade.

Thiago Koch, do Homem paterno, em depoimento para O Silêncio dos Homens
  1. Amor;

  2. Conhecimento;

  3. Empatia;

  4. Comunicação.

Quatro ferramentas-chave para que, junto da coragem de olhar para si, nós homens tenhamos a chance de pegar a bagagem que trazemos conosco e usá-las para proporcionar algo mais saudável para nossas companheiras, nossas filhas e filhos, para a família que está nascendo e, conectado a tudo isso, nós mesmos.

Para quem já é pai ou para quem ainda pretende ser, gostaria de ouvir vocês nos comentários. Você concorda com a abordagem do Tiago? E, olhando para si, quais são os pilares da sua paternidade?

Mecenas: Natura Homem

 

Novo Natura Homem Dom é inspirado no homem que tem o dom de unir sua força e doçura. Acreditamos que há diferentes formas de masculinidades e apoiamos esse movimento. O homem não precisa encarar sua realidade de forma tradicional ou radical. Não há mais motivos para ser extremista. Esse homem aprendeu a seguir sua compaixão e decidiu agir da sua forma no mundo, encontrando balanço para quais batalhas valem a pena encarar e como as enfrentará.

Natura Homem Dom celebra o homem que chora, o homem que ri, o homem que demonstra sentimentos, o homem que diz 'Te amo'.

 

Mecenas mobileMecenas desktop

publicado em 31 de Julho de 2019, 07:24
Ismael veredas corte jpeg

Ismael dos Anjos

Ismael dos Anjos é mineiro, jornalista e fotógrafo. Acredita que uma boa história, não importa o formato escolhido, tem o poder de fomentar diálogos, humanizar, provocar empatia, educar, inspirar e fazer das pessoas protagonistas de suas próprias narrativas. Siga-o no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura