Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Vídeos pra entender um pouco mais da arte do cinema

Infelizmente não tenho, até hoje, nenhuma base teórica para falar de cinema. Adoro filmes, tenho referências intensas da sétima arte quando escrevo, mas não consigo falar diretamente da parte técnica como gostaria.

Como meio vazio, ainda tenho muito que aprender, e copo meio cheio: ainda tenho muito que aprender.

E na Internet, hoje, podemos achar uma quantidade imensa de ótimos vídeos que mostram como grandes diretores se utilizam da importância visual em um filme -- táticas bem diferentes das usadas quando se escreve, claro -- e das cores e movimentos para dar a exata ideia que se quer passar. 

Lá no Trabalho Sujo, há alguns dias, mais um desses apareceu, feito por um designer que queria mostrar a utilização da cor vermelha nos filmes do mestre Stanley Kubrick:

"Kubrick sempre usou a cor vermelha com grande efeito -- não apenas em atmosferas, mas também pelo fato de vários significados diferentes para o vermelho ecoarem com os temas de seus filmes.
Os muitos significados de vermelho incluem: morte, sangue, perigo, raiva, energia, guerra, força, poder, determinação... mas também paixão, desejo, amor e sexo.
Todos temas proeminentes na obra de Kubrick. Mas ainda mais importante é a forma como a própria natureza dúbia do vermelho (o fato de poder significar raiva mas também amor) funciona dentro do grande tema Jungiano de todos os filmes de Kubrick, que é a noção de dualidade: sexo e violência, nascimento e morte, guerra e paz, medo e desejo..."

Disso, resolvi separar outros vídeos que me lembro no momento e que mostram um pouco das aspirações de grandes artistas em suas películas. Onde colocar a câmera, como isso cria um estilo, o que esse movimento das lentes quer dizer em cenas memoráveis e como o silêncio pode dar outra camada importante ao que está sendo dito para os olhos:

Kubrick | One-Point Perspective

Esse vídeo, também dedicado ao Stanley Kubrick, mostra como o diretor centraliza "o ponto de fuga da cena como em uma pintura renascentista".

Breaking Bad | POV

Uma das coisas mais legais de Breaking Bad eram as cenas gravadas em POV (point of view), mas, em vez de mostrar o ponto de vista das personagens, colocava o expectador no ponto de visão das ações de Walter White e Jesse Pinkman.

Wes Anderson | Centered

Os filmes de Wes Anderson são esteticamente belos, todos muito bonitos de se ver. De tempos pra cá, a coisa vem dando certa cansada, mas não dá para negar que o estilo centralizado de contar suas histórias são impressionantes.

David Fincher | And the Other Way is Wrong

Toda a inteligência do diretor, um dos mais competentes dos dias de hoje, condensada nesse vídeo lindo. Qual a intenção quando ele coloca cada coisa em seu lugar? Tá explicado aqui embaixo.

Martin Scorsese | The Art of Silence

A arte de usar o silêncio, não como muleta para momentos dramáticos em um filme, mas como potência narrativa. Scorsese sabe fazer isso.

Jackie Chan | How to Do Action Comedy

Guardei o melhor para o final, um vídeo lindo e incrível que disseca a obra de Jackie Chan e como ele consegue fazer um tipo de ação que Hollywood simplesmente não consegue acompanhar e como ele junta pancadaria e comédia como ninguém.

"Oh, o Jackie é bom. Não é questão se der bom, você também consegue fazer o mesmo. A questão é: você tem paciência (para filmar a mesma cena centenas de vezes) ou não?"

E agora eu quero mais. Você conhece outros vídeos bem feitos e interessantes sobre grandes técnicas de grandes obras do cinema? Coloca o link aqui embaixo e vamos conversar sobre cinema.


publicado em 07 de Janeiro de 2015, 00:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura