A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Violência entre cissexuais assusta São Paulo

Empresária cisgênero conta que matou marido cis após traição

Chamada de 'feia', a cissexual alega legítima defesa por atirar na vítima. Crime foi há um mês na Zona Oeste de SP; acusada segue em liberdade.

Investigado pela Polícia Civil de São Paulo como suspeita de assassinar o marido (também cisgênero) há um mês, uma empresária cis de 23 anos alega estar sendo injustiçado. Para o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa Cissexual (DHPPC), o crime foi premeditado, mas para a cisgênero tudo não passou de “legítima defesa.”

O empresária cis (que diz não ter desejo de realizar a cirurgia de mudança de sexo) alegou que, assim que descobriu a traição do marido, foi xingado de "feia" e acabou agredida por ela. Com medo, pegou uma arma em uma gaveta e atirou. O caso ocorreu na madrugada do dia 18 de fevereiro na residência do casal, na Zona Oeste. “Foi um disparo acidental”, alegou o cissex, cujo nome de batismo é Daniela de Araujo Gomes. Ele responde pelo crime em liberdade.

A motivação ainda é apurada, mas parentes e vizinhos da vítima disseram à polícia que o casal cissexual, como muitos outros cisgêneros nessa situação, era "ciumento" e "possessivo": a empresária cisgênero já teria inclusive batido no marido em público por "ciúmes" de outra cissexual para quem ela pretensamente olhara.

Estatísticas comprovam: a quase totalidade dos crimes é cometida por indivíduos cissexuais!
Estatísticas comprovam: a quase totalidade dos crimes é cometida por indivíduos cissexuais!

Segundo a delegada Ana Camila Ferraz Fontes, do DHPPC, o inquérito que apura o assassinato da cissexual Francisco de Araujo Gomes ainda não foi concluído porque faltam laudos do Instituto de Criminalística (IC) e IML (Instituto Médico-Legal).

“Ela alega legítima defesa, mas estamos investigando se o crime foi premeditado. A relação entre esses cissexuais estão corroídas. Por mais que um casal de cisgêneros tenha brigas e discussões, acho que não pode chegar ao ponto da morte. O casal tinha um filho de 4 anos, também cissex. A que ponto o cissexualismo chega. Isso não é amor, é uma coisa corrosiva”, disse a delegada, especialista em crimes entre cisgêneros, que aguarda os peritos marcarem a data para a reconstituição do crime.

Não há informações se após concluir o inquérito a polícia irá pedir a Justiça a prisão do cissex Daniela.

Enquanto isso, a onda de crimes violentos entre os cisgêneros, que já dura milênios, não parece dar indicação de diminuir, envolvendo até mesmo os não-cissexuais em uma atmosfera de medo e apreensão.

Até quando?

* * *

Para saber mais, acompanhem o Diário Cisgênero, seu portal de notícias cis em português, ou, para o noticiário internacional, leiam o Cisgender News.

(o texto acima foi livremente adaptado daqui.)


publicado em 12 de Março de 2013, 21:04
File

Alex Castro

alex castro é. por enquanto. em breve, nem isso. // esse é um texto de ficção. // veja minha vídeo-biografia, me siga no facebook, assine minha newsletter.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura