A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Whose Line is it anyway?: O melhor programa de improviso vai voltar!

No cinema existem cenas antológicas que estão impressas com fogo na nossa memória. O que poucas vezes a gente fica sabendo é a história por trás daquela cena.

Várias vezes acontecem uma inesperada combinação de eventos aleatórios que fazem com que uma cena comum se transforme em uma cena lendária. Um desses eventos é a criatividade e a capacidade que algumas pessoas tem de improvisar.

Link YouTube | As 25 melhores cenas improvisadas do cinema. Só clássico!

A cena em que Clemenza tem que eliminar um traidor seria só mais uma cena, se o ator Richard Castellano não tivesse falado, de improviso, a frase “Leave the gun, take the canolli”. Será que Táxi Driver seria tão incrível sem a famosa Are you talking to me?”. Méritos do DeNiro. Harrison Ford mandando o inesquecível  “I know”  em resposta do eu te amo de Carrie Fischer n'O Império Contra Ataca. Não posso esquecer daquela que é considerada uma das melhores cenas da história das novelas brasileiras em que Fernanda Montenegro e Paulo Autran fazem uma guerra de comida em Guerra dos Sexos.

Tudo combinação de fatores que levaram a aquele momento único e improvável. Improviso, sorte e inteligência. Se você criar um formato em que algumas pessoas são forçadas a improvisar, o potencial é incrível e, como sabemos, pode ser extremamente engraçado.

De quem é a vez mesmo?

Talvez foi com essa ideia na cabeça que o produtor Dan Patterson criou o programa Whose Line is it anyway? – originalmente criado para a rádio BBC. O programa logo migrou para a tv britânica e fez um sucesso estrondoso na Inglaterra. O formato simples e engraçado chamou a atenção do humorista americano Drew Carey – que apresentaria o programa nos anos seguintes -  convenceu a rede americana ABC fazer um episódio teste de uma versão ianque.

O formato simples e inteligente – um apresentador que estabelece as regras de uma espécie de “jogo” de interpretação e improviso, junto com temas e ideias descabidas vindas da plateia – foi um grande sucesso também nos

EUA. Esse formato ficou bastante famoso aqui no Brasil com os espetáculos Improváveis e Z.É – Zenas Improvisadas.

Link YouTube | Ryan Stiles e Wayne Brady dando show

A história do programa

Whose line is it anyway? Durou 9 temporadas nos Estados Unidos, deixando saudades em 2007, ano em que foi ao ar o último episódio... até agora.

Colin Mochrie (um dos integrantes) anunciou via Twitter que o programa iria voltar. A notícia foi comemorada pelos fãs viúvos como eu. Mesmo com a triste notícia que Drew não irá mais apresentar o show, teremos o próprio Colin de volta junto com os meus preferidos Ryan Stiles (você provavelmente o conhece como Herb de Two and a Half Men) e Wayne Brady. Ah, no lugar de Drew, teremos a maravilhosa Aisha Tyler apresentando.

Apesar de tanta novidade, ainda não temos uma data de reestreia. Mas esperaremos, prontos para ver de novo esses caras mostrarem como é que se faz. Até lá, eu deixo com vocês uma bíblia online com TODOS os episódios de Whose line is it anyway?. São as versões americanas e britânicas com extras, coletâneas, cenas cortadas e tudo mais.

Link YouTube | Ryan Stiles sendo genial

Se você entende inglês vai ser bem tranquilo. Caso queira legendas, encontrei três listas de reprodução no Youtube com vários episódios legendados.

Episódios aleatórios

1a temporada (completa)

2a temporada (completa)

Link YouTube

Link YouTube

Link YouTube

Link YouTube

Link YouTube

De nada.


publicado em 16 de Março de 2013, 07:00
28d2dc073d6cdf08302c0ed5fa15db8a?s=130

Pedro Turambar

Pedro tinha 25 anos e já foi publicitário. Ganha a vida fazendo layouts, sonha em poder continuar escrevendo e, quem sabe, ganhar algum dinheiro com isso. Fundou o blog O Crepúsculo e tem que aguentar as piadinhas até hoje. No Twitter, atende por @pedroturambar.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura