6 anos do PapodeHomem

Resiliência e WTFuckness marcaram nosso 2012.

O artigo de aniversário desse ano é uma retrospectiva visceral, com tripas na mesa. Puxem uma cadeira. Os comentários de vocês serão essenciais na conversa.

 

Quais foram nossos principais avanços?

Amadurecimento editorial do PapodeHomem. Em 2011 tivemos ciclos de endurecimento e seriedade, nos tornando por vezes papo cabeça em excesso, chatos. Em nosso aniversário de cinco anos fizemos uma não-celebração com o texto "Conversa de Padre", lembram? Tempos sombrios.

Esse ano vivemos longos ciclos sem editor-chefe, procurando lidar com desafios internos de crescimento. O reflexo foi um conteúdo espasmódico. Arroubos de excelência em meio a textos que nunca deveriam ter sido publicados. Ao total, tivemos 16.938.677 visitas.

Todo o crédito para o que publicamos de melhor vai para a equipe surreal de editores: Jader, Alex, Bracht, Luciano, Rodox(voltou pra Abril, fdp), Fagundes(voltou pra Cuiabá, safado).

Em 2013, aspiramos consistência.

Amadurecimento e materialização da Cabana. Ganhou pernas, braços e mais força do que nunca, exercendo ainda mais e tremenda influência positiva sobre tudo o que desenvolvemos. Realizou novos Encontros Nacionais e três edições do Cabana-do. Cada vez mais contato olho no olho e explorações, com chancela de grandes professores. Gitti, Fabio e Luciano deram o sangue, nas trincheiras. Tantos outros trabalharam nos bastidores, criando estrutura. O percurso está condensado no artigo Como levar duas vidas.

Link YouTube

Para começar a meditar

Amadurecimento profissional de todos. Em meio à luta pela sobrevivência, nos engalfinhamos. Procurando nos tornar mais produtivos e dar nosso melhor à medida em cada um buscava também enfrentar os próprios medos, armadilhas de ego e orgulho. A maioria da equipe do PdH já passou por empresas convencionais e sabemos bem o que não queremos. Mais do mesmo, status quo.

Fechamos o ano em um momento no qual, após tormentas, estamos descobrindo inusitada sintonia e relaxamento(no melhor sentido da palavra) na equipe. Até o Basecamp passou a fluir.

Amadurecimento em negócios e finanças. Área onde sofremos os mais duros golpes de aprendizado. Felipe e Cambiaghi, nossos homens de negócios, suportaram uma pressão imensa, deram nó em pingo d'água para manter a casa de pé e os salários em dia. João e Barretta, por sua vez, compartilharam o peso da responsabilidade ao tocar a área financeira. Todos foram malabaristas pra lá de talentosos. Se 2013 renova nossas esperanças, é grande mérito dos quatro.

Bom dias. Nossa exploração do sensual deu seus primeiros passos.

Bom dia, Mari Graciolli

Bom dia, Luana Almeida

PdH Sessions. O mesmo, no território musical. Veja a página exclusiva com todas as três edições do Sessions, tá elegante.

Link YouTube

Olhar. O mais emblemático movimento tem sido o de conseguirmos apalpar mais claramente nossas maiores riquezas. Os artigos transformadores. Os artigos recordistas em audiência. Os projetos que encantam marcas. Os eventos que encantam pessoas. A tentativa de melhor entender nossos espetaculares tombos e criar algo disso.

Tudo isso passa, na verdade, pelo que entendemos como Olhar.

 

Quais erros cometemos?

Tentamos crescer como empresa, revolucionar e repensar o fazer empresa; formar e nos transformar em pessoas melhores enquanto, supostamente, fazíamos o mesmo com a rede – leia-se: pessoas que nos acompanham e integram o PapodeHomem e Cabana, em suas diferentes manifestações. Tudo ao mesmo tempo.

Exagero? Sim, um misto de afobação e ingenuidade, com doses bem saudáveis de ousadia. Posto que não havia estrada feita, nos apontando como fazer o que queremos, resolvemos asfaltar na marra.

Assim resumo uma lista de erros sem fim, acumulados em 2012. Os curiosos podem fazer perguntas nos comentários, terei prazer em abrir o jogo e detalhar mais.

 

O que vocês não ficaram sabendo?

Quase quebramos. Por equívocos ligados a idealismo empresarial, grande experimentação(beirando a loucura), falta de austeridade financeira e falta de cacoete nos negócios. No momento, estamos suando pra reorganizar a casa. 2013 promete certa tranquilidade, finalmente. 2012 e 2011 foram o vórtex do Caos.

Vivemos crises pesadas. Financeiras, jurídicas, de gestão, motivacionais e, em última instância, de sentido.

Expandimos, obtendo belo reconhecimento com nosso braço de Custom Publishing. Fomos os líderes de conteúdo para o gigantesco projeto Portal Homem, da Natura. Dêem uma olhada no case, ficou bonitão:

Case Natura Homem

Somos os atuais responsáveis pelo conteúdo da fanpage de Kaiser, sob a coordenação da Fbiz. Com toneladas de conteúdo regional somente visível para quem mora em Manaus, Interior de São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre. Mês passado fomos o principal case nacional apresentado no evento Curtindo o Facebook:

 

Kaiser no Facebook | Conteúdo regionalizado é uma boa solução? 

Tentamos fabricar inúmeros novos produtos para nossa Loja. Falhamos. Descobrimos que desenvolver e lidar com produção e venda de produtos de qualidade é infinitamente mais complexo do que parece. Hoje, queremos reduzir ao máximo o que temos por lá, mantendo apenas os itens mais alinhados com nossa visão.

Uma empresa nasceu e morreu em nosso QG. A Social Content, destinada a ser uma plataforma de formação e aprendizagem focada em mídias sociais e no universo digital.

Chegamos a ter 18 pessoas e 1 cachorro trabalhando fisicamente em nosso QG, mais 9 à distância. Crescimento atropelado. Entre mortos e feridos, estamos fechando o ano com uma equipe de 11 pessoas no QG e 9 à distância. E um cachorro, claro.

Gastamos uma nota preta em taxas do ECAD, para manter o Fuckmusic.fm aberto, sem retorno financeiro. Use enquanto pode, deve sair do ar a qualquer momento.

Quebramos o pau lindamente em vários momentos do ano. Com direito a choro, porradas na mesa, telefones quebrados e o caraleo. Foi lindo. Ou feio, depende do ponto de vista.

O Clint, cão e real dono do PdH, adoeceu incontáveis vezes, foi atropelado. Também caçou brigas no Ibirapuera, chamando cachorros com o dobro do tamanho pra briga. Irresponsável.

 

O que realmente estamos fazendo?

Construindo um espaço exploratório. Uma plataforma narrativa. Um local para inspirar, divertir, formar e transformar; dedicado a melhorar vidas. Partimos da premissa de que nós mesmos estamos mais ferrados do que gostaríamos de admitir e em processo contínuo de formação. Acreditamos na liberdade, no movimento, na fluidez das relações, no poder expansivo e protetor das redes e dos círculos de confiança.

Não somos um resgate dos antigos homens e nem “novos” homens. Ambos caminhos falidos.

Faz sentido?

Xamã, guerreiro, palhaço, amante e rei: os homens que somos

 

Sugestão de 8 textos para refletir sobre o seu ano

 


  1. WTF

  2. Como levar duas vidas

  3. Mente coletiva: 8 processos sutis para operar em rede

  4. Feminismo: um curso rápido para homens

  5. Vale a pena ficar rico?

  6. Sabemos aproveitar os feriados?

  7. Sem palavras: fala de coração

  8. Você não tem tempo

Sugestão para se perder em devaneios

Acesse a página de nossos Bom dias.

Passar bem.

* * *

Cabe deixar um gigantesco obrigado a todos que seguem no QG ou estiveram conosco esse ano. Cambiaghi, Franco, Luiza, Jader, Alex, Bracht, Luciano, Julia, Mônica, Barretta, Oshiro, Lucas, Falcão, Ana, André, Jô, Rodox, Roberto. E os que seguem à distância, Gus, Fred, Rodrigues, Stocker, time Kaiser. Felipe, João e Gitti, nem digo nada. Estão fodidos mesmo.

Obrigado ainda a todos os caseiros informais, caules de nossa rede.

Peço desculpas a todos cujo emails não respondi, cuja expectativa falhei em alcançar. A todos com os quais fui bruto e agressivo. Em 2012, procurei ser aprendiz, escutar. Apanhei e estive no inferno, de novo e de novo. A sensação é de looonga estrada pela frente. Agora, gostaria muito de escutar vocês.

Como sentiram o PdH em 2012?

Quais foram nossos melhores momentos?

Onde cagamos e temos espaço para crescer?


publicado em 04 de Dezembro de 2012, 15:54
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura