Álbum de figurinhas: um Mané solitário

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Silencioso, Mané sempre foi um sujeito vazio.

Embora o nome de batismo, Hélio Prates da Silveira, também fosse uma homenagem, era o apelido de infância o que ele mais temia. Filho de pais autoritários mas um tanto ausentes, viveu, durante toda a existência, à sombra das comparações com o Anjo que lhe emprestava a alcunha.

“Ele era tão popular, vivia cercado de gente”
“Ah, pra mim o Mané era sinônimo de alegria”
“Você é tão durão... cadê a malemolência que Ele tinha?”

Mais abandonado que amado, ressentia-se diariamente até que, em sua solidão, enxergou nos planos de uma festa de família a oportunidade para se reinventar.

O investimento seria alto, mas valeria cada centavo.

Ficaria maior, mais forte e mais bonito, e deixaria a fama de desajeitado para trás. As pessoas que o desprezavam, mas eram apaixonadas pelas mesmas coisas que o Mané original, seriam obrigadas a reconhecer que ele também tinha seu valor.

Mané-garrincha

O plano deu errado.

Com R$ 1,4 bilhão de reais de investimento e sem um time para assumi-lo, o belo Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha recebeu, ao invés de duas pernas tortas, 288 colunas retas e a triste perspectiva de se tornar o maior elefante branco do Brasil. Depois da invasão colombiana da última sexta-feira e dos próximos jogos da Copa do Mundo de 2014, a obra com capacidade para 70 mil espectadores deve se limitar a receber shows musicais e visitas esporádicas de times de Rio de Janeiro, São Paulo e outros cantos do País.

* * *

brasilia

Uma Copa do Mundo se faz com pessoas.

As que entram em campo, as que viajam para testemunhá-la, as que enchem as ruas, as que se voluntariam, as que torcem e as que veem no evento uma oportunidade para garantir seu sustento ou para extravasar.

A seção “Álbum de Figurinhas” pretende contar, com um microrrelato artesanal e um retrato por dia, a história de algumas dessas pessoas, muitas vezes invisíveis, que povoam os bastidores da Copa do Mundo do Brasil.

Para ler todos os textos, basta entrar no nosso Álbum de Figurinhas.


publicado em 20 de Junho de 2014, 21:18
Ismael veredas corte jpeg

Ismael dos Anjos

Ismael dos Anjos é mineiro, jornalista e fotógrafo. Acredita que uma boa história, não importa o formato escolhido, tem o poder de fomentar diálogos, humanizar, provocar empatia, educar, inspirar e fazer das pessoas protagonistas de suas próprias narrativas. Siga-o no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: