Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 4 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

Check-list de final de ano: como não passar perrengue viajando de carro

Quer evitar ser pego desprevenido no meio da estrada? Confira nossas dicas de como se preparar para uma viagem de carro

Quando viramos a folha do calendário para o mês de dezembro, já sabemos que o período de festas e viagens está chegando. E, com isto, já começam as programações, rotas, lugares para conhecer, explorar, se hospedar. Então, passamos a pensar em qual vai ser nosso meio de transporte e, muitas vezes, buscando maior comodidade, optamos por usar nosso próprio carro.

O problema é que antes de encarar a estrada, é preciso que o veículo passe por uma revisão. Muitas vezes, em um primeiro momento, nós mesmos podemos fazer a vistoria, de forma preventiva.

Neste artigo, apresentarei quais são os componentes de seu carro que você precisa revisar antes de ir viajar e também o que é preciso perceber a cada revisão.

É importante que você entenda que mesmo não estando nesta lista, qualquer problema que surgir deve ser levado para um profissional especializado. Mas para começar:

Você pode fazer sua própria revisão

Acalme-se, vou explicar. É preciso que você mantenha o seu veículo sempre em boas condições. Apenas quem utiliza o carro diariamente é capaz de identificar eventuais problemas ainda quando eles estão surgindo.

Esta sua observação, em um primeiro momento, é a mais importante, pois mesmo que você procure um mecânico depois, você terá que conseguir explicar o que seu carro apresenta de errado.

Lembre também que, na estrada, caso seu automóvel não esteja em bom estado e você for flagrado, dependendo do problema que ele estiver apresentando, você poderá ser enquadrado no Art. 230 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que possui previsão de multa média ou gravíssima.

Além disso, você estará colocando em risco a sua vida, a dos passageiros e a do trânsito em geral. Por isto, esteja sempre atento. Dito isso, vamos às dicas de quais componentes você deve revisar antes de pegar a estrada.

1. Verifique os freios

Os freios são parte fundamental do seu carro e eu nem preciso explicar porque. Por isso, não importa qual o modelo do seu veículo, conforme ele for envelhecendo, é cada vez mais importante checar o estado dos freios. Na média, a recomendação é que todo o sistema seja revisado a cada 10 mil quilômetros rodados. O que provavelmente é o seu caso.

Então, antes de viajar, cheque se o fluído do freio está no nível indicado. A maioria dos veículos tem uma indicação no próprio painel disso e pode ser uma daquelas luzes que ascendem e você não sabe o que é. Se não souber, vale a pena pegar o manual e tirar dois minutos do seu tempo para descobrir e checar.

Com sorte, você terá sido apenas um cara precavido. Mas se o nível estiver abaixo, você pode passar em qualquer posto de combustível e completar. Coloque a despesa nas contas da viagem e aproveite o fim de ano (e o começo do próximo) sem precisar se preocupar mais com isso.

2. Cheque as lanternas

Assim como as lâmpadas da sua casa, é normal que de tempos em tempos as lanternas do carro acabem queimando. No carro, exposto a mais intempéries na rua do que o abajur da sua sala, isso é ainda mais comum. Portanto, o ideal é que a cada 15 dias você verifique as lanternas e piscas para garantir que não vai receber nenhuma multa na estrada.

Aliás, circular nas vias com o sistema de iluminação ou sinalização do carro com defeito é considerado infração média pelo CTB. E você, sabe, a fiscalização fica em cima nessas épocas do ano.

Para fazer essa revisão, como você tem que acionar botões dentro do carro e ver o resultado do lado de fora, você pode aproveitar a oportunidade para pedir ajuda e, de repente, fazer disso uma ocasião divertida com seu filho. Caso ele já tenha idade pra isso, coloque ele no banco do motorista e ensine como ligar a seta, o farol e coisas do tipo.

3. Revise a suspensão

Nós sabemos que nem todas as estradas brasileiras são uma maravilha e dependendo de onde você for se meter as estradas podem ser bem ruins mesmo. Nesse caso, ter as suspensões e os amortecedores em dia podem ser decisivos na hora de evitar um acidente ou mesmo para tornar a viagem mais confortável caso passe por um buraco despercebido.

Além disso, é muito comum que nessas épocas a gente atole o carro de peso. Muita gente pensa que enquanto tiver espaço pode ir enfiando coisas, mas não é bem assim. Você nunca deve ir para a estrada com peso excessivo. Isso vai forçar peças responsáveis pela direção do eixo traseiro e pode causar acidentes.

Independente disso, assim como no caso dos freios, é preciso que uma revisão completa seja feita a cada 10 mil quilômetros rodados. Qualquer oficina mecânica tem um aparelhinho que confere o balanceamento e a geometria do veículo. Muitas delas nem cobram por esse serviço, apenas no caso de estar desalinhado e ter que corrigir. Além disso, há como checar isso pelo desgaste dos pneus.

4. Calibre seus pneus

Caso seus pneus estejam descalibrados ou mais gastos de um dos lados do que do outro, pode ser sinal de que há problema na suspensão ou no balanceamento do carro. Mas pode ser sinal de que simplesmente seus pneus estão velhos.

Não é preciso trocar pneus com muita frequência, apenas é importante calibrá-los a cada 15 dias. Nesse caso, na véspera de sua viagem, passe num posto de gasolina conhecido e peça para que o frentista te ajude nessa missão. Ao final, dê uma caixinha pro cara, e garanta a alegria dele nesse final de ano, afinal, você está indo viajar, mas o cara provavelmente vai ficar ralando em escala durante todo o feriado. De qualquer forma, não se esqueça de calibrar também o estepe! Muita gente não lembra dele, e na hora do aperto, fica na mão.

Outra coisa para se notar diz respeito aos pneus estarem careca ou não. A legislação brasileira exige que o pneu tenha ranhuras de pelo menos 1,6mm de distância para que assim tenha calhas por onde a água possa escoar. Nesse caso, o teste da moeda é infalível. Coloque ela nos espaços e veja se ela tem profundidade e largura suficiente para entrar.

Aproveite que já está por ali e cheque também se não há pedras, saibro, pregos ou parafusos no pneu. É incrível a quantidade de coisas pelas quais passamos por cima andando por aí. Seus pneus vão ter tudo isso registrado.

5. Verifique o nível de óleo

O procedimento para checar o nível do óleo é tão simples quanto eficaz. Se você já tem alguma experiência na direção, deve ter visto um frentista fazer isso no seu carro ou no de um outro qualquer e sabe que funciona.

O óleo é importante porque lubrifica as impurezas do motor e garante que as engrenagens funcionem. Acredite em mim: você não quer ter problemas no motor. Principalmente se for por negligência com relação ao óleo.

Sendo assim, antes de viajar, desligue o motor por pelo menos cinco minutos para que o óleo desça do compartilhamento. Aí então retire a vareta de medição do óleo e limpe-a com uma flanela ou papel. Recoloque a vareta no compartilhamento e espere dez segundos. Então retire-a novamente e veja se a marca do óleo está entre as duas marcas na ponta da vareta.

Se estiver assim, segue o jogo. Se não, retire um pouco de óleo caso tenha muito (acontece) fazendo a chamada 'sangria' ou preencha com o necessário caso tenha pouco. Vale a pena comprar uma latinha e guardar direitinho para quando precisar de novo.

Também é importante que você fique atento ao filtro de óleo, pois ele retém as impurezas geradas pelo motor e, caso esteja sujo, aumentará o consumo de seu combustível. Já pensou?

6. Observe seu filtro de ar

Assim com o filtro de óleo, o filtro de ar precisa ser checado. Ele serve para eliminar as partículas impuras do ar absorvido pelo motor e precisa ser verificado, pois, caso esteja velho ou apresentando problemas, exige que seja trocado.

Nesse caso, não tem muito jeito. A recomendação é que ele seja trocado a cada 10 mil quilômetros, mas mesmo antes disso, caso você perceba que ele está velho vai precisar ir até uma oficina e trocá-lo, caso contrário, sua família vai ficar respirando sujeira a viagem inteira.

7. Verifique os níveis de água do radiador

Imagine você no meio da estrada com a família toda no carro quando de repente surge uma fumaça saindo de seu motor. Desesperador, não?

Pois então evite que isso aconteça. É claro que há outros motivos para sair fumaça do seu carro, mas em geral é por falta de água no radiador e superaquecimento do motor. Portanto, faça mais essa verificação antes de viajar.

Aqui o importante é que você faça isso com o carro frio. Então, antes de ligá-lo, abra o capô e veja se o nível está no ideal (entre o máximo e o mínimo). Se não estiver, tome as providências necessárias.

Também confira se a tampa do tanquinho está bem fechada ou se a bomba d’água apresenta vazamentos. Isso vai garantir uma viagem segura.

8. Confira as luzes do painel

Quando estamos manipulando uma máquina, geralmente levamos a sério as indicações que vemos no painel de controle, mas com o passar do tempo o carro se tornou algo tão banal que muitos de nós ignoramos totalmente o que as indicações no painel querem dizer. Esse é um mal hábito que precisar ser evitado, sobretudo antes de pegar a estrada.

Em geral, luz acesa no painel não é bom sinal. Luz vermelha significa emergência e, pode estar havendo desde problemas no airbag, na bateria, na pressão do óleo do motor até problemas nos freios ou na temperatura do líquido de arrefecimento.

Caso acenda luzes amarelas, você está sendo advertido de que podem estar ocorrendo problemas com o aquecimentos das velas do motor ou com a injeção eletrônica.

Em todo caso, vale a pena dedicar mais cinco minutos ao manual do seu carro e aprender o que cada uma delas significa. Depois de muitas reclamações, os manuais dos carros estão bem mais didáticos e simples. Você pode aprender o que elas significam bem mais rápido do que imagina e, bem, percebendo que alguma coisa está errada antes de sair de casa, ainda há tempo para corrigir ou remediar.

9. Confira as ferramentas e o estepe

É preciso que você esteja preparado para possíveis contratempos na estrada, mesmo tendo feito a revisão. Portanto, antes de viajar, confira sempre se a sua caixa de ferramentas está com o macaco, o triângulo, a chave de roda e a chave de fenda.

Esteja também ciente de como estas ferramentas são utilizadas, pois muitas vezes é perigoso ficar muito tempo parado na estrada e caso seja necessário parar, você precisa ser prático. Dependendo da extensão da viagem e da solidão no caminho, leve também peças de reposição como lâmpadas, fusíveis e velas.

Outro item extremamente importante é o extintor de incêndios. Localize o local em que ele se encontra dentro do veículo, seu modo de utilização e sua validade. É bom lembrar que não ter estes itens no veículo gera infração grave, 5 pontos na CNH e multa de R$ 195,23. Então, não esqueça!

10. Revise e use o cinto de segurança

Por último mas não menos importante, você também deve observar se o cinto de segurança não possuiu nenhum dano na sua cinta ou no fecho.

Veja se o tecido não está desgastado ou frouxo, pois além de ser obrigatório, ele é responsável por proteger você em caso de colisões ou freadas bruscas. Aproveite e, caso tenha passageiros que vão no banco de trás e o seu modelo de carro não tenha vindo assim de fábrica, tire os engates escondidos de baixo do banco. Aliás, você já deveria ter feito isso.

Cada componente possui um prazo de revisão

É claro que você precisa conferir todos estes itens do seu veículo antes de viajar. Porém, tenha sempre em mente que a revisão deve ser feita periodicamente. Alguns componentes do carro devem ser revisados constantemente, outros nem tanto.

Organizar-se desta forma contribui até mesmo para o seu orçamento, pois a manutenção preventiva é a mais barata, já que é capaz de identificar o problema desde seu início.

Indico que, a cada 15 dias, sejam feitas as checagens dos itens mais básicos, por você mesmo, como conferir a calibragem dos pneus e estepes, o nível da água do radiador e do limpador de para-brisa, o nível de gasolina do reservatório flex, lâmpadas e óleo de motor, etc.

A partir disto, para as próximas revisões, é preciso que você tenha o auxílio de um profissional, já que semestralmente você deve conferir a pastilha de freio, a regulagem do freio de mão e efetuar a troca do óleo de motor e filtro de óleo. Assim como o alinhamento, o balanceamento, a suspensão e o rolamento das rodas.

Anualmente, é recomendado que você leve seu veículo para um mecânico, para que seja feita a revisões na bateria e no sistema de carga. Nessa mesma revisão anual também são conferidas as condições do extintor de incêndio, o estado e a validade dos pneus, o nível de óleo no câmbio, a manutenção na direção hidráulica e o estado geral das correias do motor.

Mas fique sempre atento! Como já comentei, não espere para solucionar o problema. Caso identifique algo em seu veículo que não está dentro do normal, antecipe esta revisão.

Procure sempre oficinas especializadas

Para finalizar, pode parecer exagero, mas em alguns momentos, o auxílio de um profissional é necessário para que seu carro esteja nas melhores condições possíveis. Por isso, nunca opte pela mão de obra mais acessível para fazer sua escolha, pois imagine você ir para a estrada após uma revisão mal feita?

Pode ser o famoso caso do barato que sai caro. Ter um carro custa dinheiro e na hora que você escolheu por tê-lo deveria colocar na balança além do custo das prestações e da gasolina, também o da manutenção. Se tiver um mecânico de confiança, faça sempre com ele. Se não tiver, crie um. Nessa hora, ajuda seguir esses passos para que o profissional escolhido não seja mais uma problema no fim das contas:

  • Peça indicações de pessoas conhecidas;

  • Pesquise o histórico profissional do mecânico, se tem licença para trabalhar ou se está vinculado a uma empresa de confiança;

  • Verifique se ele está sempre com o número do telefone disponível;

  • Pergunte se ele fornece garantia. Um bom profissional deve ser capaz de responder pelo seu trabalho prestado;

  • Pergunte como os cálculos do valor cobrado são feitos. Você tem o direito de saber se o valor é cobrado por horas gastas e/ou pelo grau de dificuldade da mão de obra, serviço, etc;

  • Peça o orçamento do serviço antes de qualquer procedimento;

  • Informe cada peça que deseja que ele utilize em seu veículo, pois isto faz toda a diferença no resultado final, já que há uma grande variedade de peças disponíveis no mercado;

  • Certifique-se de que as condições de garantias do fabricante de seu carro não serão violadas com os serviços mecânicos. Alguns fabricantes estabelecem requisitos para o bom funcionamento, portanto, é preciso que este profissional utilize as peças adequadas para não comprometer sua garantia;

  • Exija que o mecânico explique sobre os serviços prestados, mostre as peças que foram trocadas e o motivo;

  • Esteja sempre ciente dos procedimentos realizados pelo mecânico. Caso não compreenda algum termo específico, peça que ele explique de forma mais clara. Caso isto não aconteça, as possibilidades de ele enganar você e do serviço não ser o esperado são grandes.

Sua viagem começa bem antes

Como você pode perceber, planejar uma viagem de carro inicia até mesmo meses antes da partida. Assim como é importante que você confira todos os outros prazos para que suas férias sejam boas, cuidar do seu veículo deve estar na lista de prioridades.

Quanto mais rodado o veículo, mais rígidas devem ser as revisões. Quando estiver na estrada, deixe sempre que o motor aqueça por uns minutos, nunca dirija com ele frio. Também mantenha sempre que possível os vidros fechados, pois isto melhora a aerodinâmica do carro e tenha cuidado ao abastecer. Sempre utilize um posto de confiança.

Tendo isso em mente, buscando ajuda profissional de confiança e seguindo as instruções do fabricante, sua viagem tem tudo para ocorrer de forma segura e tranquila, diminuindo as chances de cometer alguma infração e consequentemente ser multado.  

Lembre-se: Tão importante quanto esta checagem é o porte obrigatório da documentação do carro, do Certificado de Licenciamento Anual do veículo e da Carteira de Habilitação. Sem estes documentos o condutor poderá receber multa mesmo que tenha realizado o pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e esteja com o licenciamento em dia. Feito isto, esteja atento aos documentos necessários e boa viagem!

Caso tenha alguma dúvida remanescente, correção ou sugestão a fazer, a caixa de comentários está aberta e o meu email também está à disposição: doutormultas@doutormultas.com.br. Aproveite.

***

Nota da Edição: O texto foi escrito pelo Gustavo Fonseca, o fundador do Doutor Multas, e gentilmente cedido para veiculação no Papo de Homem. Lá no site dele você confere muito mais dicas, além de ter à disposição uma consultoria na área administrativa para evitar e recorrer de multas, processos de suspensão, cassação etc. Tem bastante coisa interessante. Da nossa parte, esperamos poder trazer mais dicas práticas sobre carros pra vocês. Vida longa a esta parceria.


publicado em 20 de Dezembro de 2017, 07:00
Gustavo fonseca doutor multas jpg

Gustavo Fonseca

Cofundador do Doutor Multas, um blog criado há 9 anos com o objetivo de ajudar os motoristas. Já evitou que + de 5.200 clientes perdessem a CNH com recursos personalizados. O blog já foi notícia no Estadão, VEJA, Quatro Rodas e UOL.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura