Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 5 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

Fila Brasileiro: Dr. Drinks homenageia o Greyhound (com sorteio de camisetas)

Um dos drinks que mais me fascina é o Greyhound, drink favorito do escritor Hunter Thompson, do qual já falamos algumas vezes por aqui. Assim como aqueles cachorros de corrida ingleses bem magrinhos tiveram uma homenagem feita pela coquetelaria, fiz o mesmo por nossa genuína raça de molossos tipicamente brasileiros.

Assim, cachorros e drinks se encontram aqui hoje. Aprenda a fazer o Fila Brasileiro, receita que criei inspirada no trocadilho com Greyhound.

Link do Youtube

Receita do Dr. Drinks para um bom Fila Brasileiro:

  • ½ toranja
  • ½ laranja bem suculenta
  • Cachaça ouro
  • Mel silvestre
  • Gelo
  • Coador fino
  • Taça de martini
  • Esprema o suco da laranja e da toranja no copo da coqueteleira e acrescente bastante gelo. Sirva uma colher de mel por sobre o gelo e 1 ½  oz (45 mL) de cachaça. Bata bastante mara o mel diluir bem e sirva na taça de martini previamente gelada coando com o strainer e com o coador fino, para evitar o bagaço.

    Um drink aos cachorros

    Homens, cachorros e bebidas sempre tiveram uma relação muito próxima. Frank Sinatra chegou a dizer que o whisky é o cachorro engarrafado, comparando a lealdade de ambos a seu dono. Inspirado nessa relação, um barman do Savoy Hotel da Londres dos anos 30, criou um highball muito simples feito apenas com vodka e suco de toranja e batizou a receita em homenagem aos famosos cães de corrida ingleses. Naquela época a ligação do cara com os cachorros deveria ser bem forte, já que eles protagonizavam caçadas a javalis e cervos e também permitiam que a galera ganhasse uma grana nos cinódromos, onde o galgo inglês, como também é conhecido, mandava muito bem.

    Qual dos dois lhe parece mais saco roxo?

    Esse foi o ponto de minha inspiração: criar uma releitura do Greyhound com elementos brasileiros e, assim, homenagear nossa primeira raça tipicamente brazuca. Sei que depois do Greyhound-pepper-tini muitos irão dizer que tenho mania de reler o clássico com martinis. Sim, confesso, é a mais pura verdade. Acredito muito no suco de toranja, pois seu caráter ácido e extremamente azedo, dá um toque diferenciado a qualquer drink.

    Por isso usei ingredientes abundantes no Brasil e um dos adoçantes naturais que mais gosto: mel. A combinação do mel com cachaça normalmente tem textura aveludada e um sabor rústico mas sem perder a ternura, o que misturado ao ácido e doce suco de laranja com o azedo da toranja proporciona um drink cuja experiência sensorial é de amplitude de sabores muito bem amparada pela intensidade dos aromas do drink.

    Optei por um martini justamente porque a taça favorece a imersão nos aromas e por se tratar de um drink com caráter cítrico, este formato atende melhor aos níveis de concentração e refrescância que desejava no momento de sua criação. Concentração neste caso significa não diluir o drink fazendo algum tipo de top como nos long drinks. E por não ter gelo na taça quem faz o drink obriga-se a serví-lo bem gelado, o que garante a refrescância ideal para ser consumido em dias quentes à beira da piscina, por exemplo.

    Whisky é o cachorro engarrafado

    Quer ganhar uma camiseta animal da Chico Rei como a que usei nesse vídeo? Então escreva aqui nos comentários outros adágios que  ligam cães, homens e bebidas. Vale ditado popular, expressões regionais e, inclusive, criar seu próprio adágio.

    Semana que vem vou escolher as 4 melhores e divulgar aqui nos comentários os ganhadores.


    Se vocês quiserem acompanhar meu Twitter etílico sigam @juniorwm e se quiserem se conectar comigo no Facebook também é juniorwm. Se quiserem me escrever, meu email é drdrinks@papodehomem.com.br.
    Um beijo e até semana que vem.

    publicado em 07 de Janeiro de 2011, 13:12
    63c64bb52a2d6969065166dcd39cd9b8?s=130

    Junior WM

    Um grande apreciador de história e histórias. Vive a vida de forma que seja lembrada como honrada e humana. Ama os prazeres da vida e sua família. Escreve sobre passar pelo mundo com dignidade e alegria. Contribui com a revolução digital por acreditar em seu caráter humanitário e num mundo melhor.


    Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

    Sugestões de leitura