A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Jeans e camiseta, composição de cores | Minha roupa diz #1

Alô você, leitor camarada, eis a mais nova seção que nos acompanhá por um bom tempo aqui no PapodeHomem (se você gostar, é claro).

O “Minha Roupa diz...” será um espaço para aumentar ainda mais a integração entre leitor (você) e cornetador (eu) e consistirá em uma análise feita por mim da composição de vestuário feita por você e uma sugestão do que adicionar ou alterar.

Os leitores deverão enviar duas composições diferentes, com três fotos cada uma:

1. trabalho;

2. passeio (diurno ou noturno).

Selecionarei as que tiverem mais potencial de gerarem comentários úteis.

Com as fotos, é preciso uma breve descrição do seu perfil, profissão, personalidade etc. Esta parte é fundamental, afinal, grande parte de uma roupa ficar bem ou não em alguém depende de como ela reage a sua personalidade. Quanto mais coerente, mais bem vestido.

Do mais, vamos adequando e criando a fórmula desta nova série na prática.

Obs. do autor:fera, seja um cara legal. Nada de fotos muito escuras, que cortam pedaços do seu corpo (sim, o pé também é corpo) nem com celular na frente. Todo mundo tem um amigo, mãe, mulher ou vizinho capaz de fotografá-lo. Veja as fotos abaixo e siga o mesmo padrão. Na sequencia, envie-as para minharoupadiz@papodehomem.com.br

Hora da análise. Com vocês, nosso primeiro convocado: o intrépido, o sagaz, o sem-escolha-nenhuma-afinal-é-meu-editor:

Jader Pires!

Vamos ver o que o Jader fala dele mesmo:

"Jader é escritor e jornalista. Prefere observar a sair falando."

Composição 1: trabalho (jeans, camiseta vermelha e botas)

foto 1

Boa escolha na composição dos elementos. O combo camiseta/jeans/botas é um clássico e a coerência está bem amarrada por peças que relacionam de maneira clara juventude e virilidade. Ainda assim, é possível melhorar bastante apenas com algumas alterações de peças pontuais.

Comecemos pela calça: o corte está ótimo, acompanha os contornos do corpo, porém sem marcá-lo em excesso. A lavanderia levemente mais clara na região dos joelhos e coxas é sutil e também funciona. Portanto. a calça será mantida e potencializaremos somente as outras peças.

Optar pela bota é uma ótima saída. Um tênis no lugar provavelmente soaria muito adolescente para um escritor. Para aprimorar a harmonia com a calça, botas mais claras (de preferência em tom terroso) fariam com que elas ganhassem destaque (pois seriam claras) e, ao mesmo tempo, não seriam muito chamativas, pois harmonizariam com a calça devido a semelhança de valor (claro/escuro).

Na camiseta está o único problema realmente grave da composição. Embora o James Dean da estampa diga um pouco mais a respeito de sua personalidade e também seja estampado em monocromia (o que é bom para um visual mais sóbrio), ele tem um defeito muito grande de proporção em relação ao tórax do Jader.

Note que a estampa acaba exatamente onde começam os mamilos do nosso querido editor. Por isso, mesmo ele não tendo tetinhas adolescentes, seus queridos mamilos acabam chamando mais atenção do que deveriam.

Essa é uma das raríssimas vezes que me verão colocando regra sobre algo: mamilos em evidência nunca ficam bem.

A saída é simples, optar por uma camiseta que diga algo semelhante a anterior. Mantemos o vermelho por ser uma cor associada ao movimento e, no lugar da imagem do James, entra uma de atmosfera igualmente retro, composta por carros antigos e potentes e mulheres fortes.

Apenas realizaremos uma mudança efetiva, a proporção da arte na camiseta. Vamos escolher um peça com a arte maior e, então, adeus tetinhas.

Problemas solucionado, personalidade mantida!

Por fim, eu adicionaria um pequeno acessório em um dos pulsos, pois os cabelos e cavanhaque bem aparados fazem um ótimo contraponto com o alargador na orelha, porém, não encontram ressonância nos braços “lisos”.

foto 2

Neste caso, eu evitaria um relógio. Ele poderia deixar o visual sem coerência, afinal, o rebelde quer mesmo saber que horas são?

Já um acessório pequeno terá o mesmo peso que o alargador como peça contrastante em relação a barba e cabelo, e não afetará a coerência da personalidade proposta.

Composição 2: "para se deslocar rapidamente pela cidade" (calça mostarda e camiseta preta)

foto 1(1)

Ótima proposta. Dessa vez, duas coisas ocorrem muito bem pelo simples fato de não termos uma estampa na camiseta.

A primeira é que o relógio se torna coerente com a composição, pois não existe uma arte com tema rebelde e jovem no peito. A segunda é que o tênis também se encaixa muito bem com as outras peças, pois é ele quem traz a juventude a tona, sem os excessos que teríamos se ele estivesse acompanhado a uma camiseta estampada (lembre-se, o Jader chegou nos 30 anos e é jornalista e escritor).

Repare que, como dizia o profeta, "deus está nos detallhes": ele utiliza uma camisa preta, com acessórios pretos e um cadarço igualmente negro, harmonizando entre si as diferentes partes do todo de maneira discreta. Este fato faz com que ele possa apostar em uma calça mostarda e um tênis vermelho sem que eu ou você achemos que ele esteja cometendo algum tipo de excesso ao colocar cores fortes em sua paleta.

O único ponto que me incomoda nesta imagem são os bolsos da calça marcados. Normalmente este problema é fruto de uma modelagem que esta ajustada em excesso na coxa, infelizmente um problema recorrente para quem tem pernas grossas e se torna aparente na maioria das calças claras de modelagem slim.

A sugestão de modificação será, mais uma vez, pequena.

Alterar a calça da foto por uma que seja de cor e corte similares, porém que tenha a parte superior da coxa com uma modelagem mais solta. Outra ideia, mas apenas complementar, é substituir a camiseta preta por uma camiseta branca.

A harmonia do todo continuará sendo respeitada pois, embora obviamente o branco não tenha o mesmo valor (claro/escuro) que o preto, ele também não tem cor, o que faz com que a neutralidade da camiseta perante ao resto das peças se mantenha. E se ele não se une por valor com os acessórios, ele se une em valor com a calça, ambas peças claras.

foto 2(1)

E assim termina nossa primeira análise!

Lembre-se, meu amigo: não existe combinação que seja boa se as peças não respeitam a personalidade do usuário. Entender quem é você o que deseja externar ao mundo é o primeiro passo para se vestir bem. Os outros, fique tranquilo, você vai aprendendo por aqui.

E não se acanhe. Aguardo suas fotos!

Não estou aqui para ridicularizar ou julgar ninguém, apenas para informar e trazer um tipo de conhecimento ainda pouco explorado pelo homem brasileiro.

Como sempre, espero que tenha sido útil ou, ao menos, divertido!


publicado em 05 de Agosto de 2014, 07:30
11304492 1107811912567819 865753018 n

Bruno Passos

Pintor e dono da Conto Figueira. Ama livros, filmes, sol e bacon. Planeja virar um grande artista assim que tiver um quintal. Dá para fuçar no Instagram dele para mais informações.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura