A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Não destrua sua alimentação nas festas de fim de ano

Fim de ano chegando, sobras do Natal provavelmente ainda na geladeira, e você aí, pensando em comer até sair pela boca. É muito comum engordarmos no final de ano. Com esse clima festivo, tudo é motivo para excesso. Por isso organizei uma sequência de dicas para que ninguém perca tudo o que batalhou (ou malhou) o ano todo para conseguir.

São ideias simples, mas que se executadas podem minimizar todo o estrago dessa temporada de gula.

As duas melhores coisas da vida são comer.

1. Quando não for celebrar, coma de forma saudável

Existem refeições que se tornam mais do que meras refeições, sendo consideradas verdadeiros eventos de reunião com familiares e amigos. Neles, temos quase uma obrigação social de comer. E muito.

Se sentir à vontade para curtir a refeição faz parte da alegria do fim de ano. É o momento onde deixamos nossas preocupações de lado, comemos e bebemos a vontade. Se fizermos algum tipo de restrição nesse sentido, o próprio brilho da festa pode ser prejudicado.

Então não vou dizer para você maneirar em pleno banquete da virada. A dica é não prolongar nem antecipar isso. Coma à vontade naquele momento, mas procure fazer refeições mais saudáveis quando fora das festas. Se possível, tente até mesmo dar uma compensada, comendo em menor quantidade e abusando das folhas, verduras e legumes para balancear a destruição dos melhores momentos.

2. Não pule refeições anteriores

Nos dias de festa, é bem comum não querermos comer antes, já que vamos comer muito depois. Isso é uma tentativa de reduzir a ingestão de calorias e minimizar o estrago. Mas não funciona, porque ficamos com tanta fome na hora da festa que acabamos comendo muito mais do que deveríamos.

Fazer todas as refeições do dia vai nos garantir depois uma saciedade com menos calorias. Você vai comer menos e ficar tão feliz quanto. E se seguir a primeira dica, consumirá calorias saudáveis. Assim, quando chegar na hora da festa, estará com fome apenas para comer o que gosta, sem (tanto) exagero.

3. Seja chato com a comida

Se não gostar do que está comendo, pare de comer. Já me peguei comendo coisas que nem estavam tão gostosas assim, só para comer de tudo. Coma o que realmente for gostoso, o que você gosta de verdade. Isso faz com que eliminemos uma quantidade de gordura e caloria que vão fazer muita diferença depois. Sem contar que é bom senso.

Nisso, evite comer aqueles doces que ninguém gosta, mas que estão ali porque são tradição desde época da sua bisavó. Aquele arroz cheio de uva passas, aquela lentilha com gosto duvidoso que você nunca sabe por que está comendo. Parta direto para o tender e o Peru, para a boa e velha rabanada, e as coisas que realmente dão aquele prazer de comer.

Se você seguir essa dica em conjunto com a segunda, vai sair da mesa feliz e leve.

Não precisa fugir do peru. Não desse, pelo menos.

Curta e se divirta

A época de festas é importante. Curtir com os amigos e a família faz todo esforço e correria do ano valerem a pena. Ver que no final tudo deu certo dá energia e gás para o próximo ano. Desencane dos radicalismos e compartilhe esse momento com os outros. Se possível, sem se empanturrar.


publicado em 26 de Dezembro de 2011, 11:14
12596172 10153389055960906 1551523976 n

Alberto Brandão

É analista de sistemas, estudante de física e escritor colunista do Papo de Homem. Escreve sobre tudo o que acha interessante no Mnenyie, e também produz uma newsletter semanal, a Caos (Con)textual, com textos exclusivos e curadoria de conteúdo. Ficaria honrado em ser seu amigo no Facebook e conversar com você por email.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura