A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Os 8 livros favoritos de Steve Jobs

Estou saindo de casa no momento em que digitar a última letra desse texto. Vou até a Livraria Cultura no Conjunto Nacional, aqui em São Paulo, com um único objetivo em mente: adquirir a obra "O Dilema da Inovação", escrita por Clayton Christensen, professor da Harvard Business School.

Minha motivação para essa compra não vem do fato desse professor lecionar em Harvard. A fonte é outra, mais especificamente a recente biografia oficial de Steve Jobs. Devorei o livro duas semanas após ser publicado.

Minha relação com biografias é bastante específica, não as vejo como mero entretenimento. Enxergo aquelas páginas como uma aula privilegiada, em contato direto e tão próximo quanto possível com mentes espetaculares. Naturalmente, há omissões e pequenos ajustes. Porém, por trás de cada decisão o leitor atento consegue observar o processo mental por trás, escondido nas entrelinhas. E para isso, meu amigo, não há preço.

Na biografia de Jobs há pequenas gemas escondidas sobre seus hábitos literários. Anotei os livros mencionados como principais influências e os compartilho agora:

O Dilema da Inovação, de Clayton Christensen

O Rei Lear, de Shakespeare

Moby Dick, de Herman Melville

Poemas Reunidos, de Dylan Thomas

Mente Zen, Mente de Principiante, de Shunryu Suzuki

Cutting Through Spiritual Materialism, de Chogyam Trungpa

Autobiografia de um Iogue, de Paramahansa Yogananda

Be Here Now, de Baba Ram

* * *

É isso, lá vou eu em busca de meu próximo livro.


publicado em 15 de Abril de 2012, 13:22
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura