Sapatos: dicas de como cuidar e conservar o seu calçado

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg
  • Asm selo png

"Diga-me com o que andas e eu te direi quem és!"

Se você utilizar um sapato feio, você será feio. Se utilizar um sapato chique, você será chique!

Pronto, está ai tudo o que você precisava saber sobre Calçados.

* * *

Meu deus, que coisas idiotas as frases que encabeçam essa matéria, não é mesmo?

É mesmo. Como em todas as situações na vida, um pensamento superficial jamais conseguiu extrair o que temos de melhor. Agora, que tal imaginar que esse mesmo pensamento aplicado no lado inverso de nossa suposição?

Quantas vezes você se importou realmente com o calçado que iria usar? Talvez não muitas.

Errado ou não, minha função aqui não é julgar, e sim, informar.

Quem sabe eu ouça de você: "sapatos são pra casamento, tênis são pra passear e chinelos são pra ficar em casa". Fim.

Na grande maioria das vezes essa afirmação estará correta. Mas voltemos à mesma lógica que foi aplicada no começo do texto: assim como em todas as situações da vida, pensar sobre algo de maneira superficial nunca extraiu o melhor de nós nem das coisas que colocamos as mãos.

Levando isso em consideração, notei que grande parte dos meus amigos -- e até eu mesmo, durante um bom tempo -- tinha certa preocupação com a questão formal do calçado, mas muito pouca preocupação com a questão estética e muito menos ainda com a preservação da peça em si.

A ocasião, a estética e o instinto de preservação do seu calçado

Temos três situações que ocorrem em seguida uma da outra:

Preocupação de Ocasião: Se fossem a algum evento formal, todos tinham a exata noção que nos pés deveriam estar usando sapatos de couro. Esta sempre foi uma máxima intocável.

Já em um momento de churrasco com a família, um chinelo simples estaria resolvendo tudo que fosse necessário.

Preocupação Estética:

“-- Na ocasião formal, é imprescindível que a cor dos meus sapatos combine com a cor de minhas calças e meias.”

Por fim, a preocupação de preservação:

“-- Terno vestido, nó da gravata feito, sapatos colocados! Epa... o Lucas, meu sapato não tá brilhando, né cara?”
“ -- Sei lá cara, ele é escuro, a calça é escura, vamo logo!”
“-- Demorô.”

Se analisarmos as coisas sob essas óticas, chegaremos a uma conclusão intrigante:

Eu me preocupo se estou com o calçado correto para a ocasião, me preocupo se as cores do modelo que estou usando estão de acordo com o resto da minha roupa, porém, eu simplesmente ignoro o estado de conservação do que estou calçando!

Ainda na mesma situação, tenha em mente que um calçado que esteja mal conservado atrapalhará e afetará diretamente suas duas preocupações anteriores.

A de ocasião, afinal, o que é estar vestindo trajes mais formais, que busquem transparecer a importância que você está dando para o evento e, ao mesmo tempo, utilizar sapatos que digam o oposto, que estejam mal cuidados e desleixados?

O que dizer então da preocupação estética. Sua calça preta pode ser extremamente bem cortada, mas se os seus sapatos que eram pretos estiverem mais claros que ela, acinzentados e sem saturação (no caso de terem cor), com certeza está combinação não estará harmoniosa, pois o valor e o croma irão destoar de todo o resto da composição. (lembre que já falamos algo sobre cor no PapodeHomem).

Hoje, pela primeira vez, não estamos falando sobre harmonia e efeito estético, mas sim sobre os benefícios de se conservar bem um produto.

Além da conservação afetar diretamente como o calçado é percebido, é impossível não levar em conta que, ao cuidar da maneira correta de algo, evitamos seu desgaste precoce e economizamos dinheiro. Ainda contamos com um bônus: se a peça for um xodó, ela poderá permanecer assim por muito mais tempo.

Grande parte de vocês deve saber alguns truques de conservação e dicas de polimento, por isso irei compartilhar as informações que considero mais inusitadas e peculiares.

Obs: as dicas abaixo visam, em sua maioria, os sapatos, já que tênis costumam exigir menos cuidados e também têm o fato de alguns ficarem bem mais legais quando gastos.

Fôrmas de madeira para sapato

Existem diversos benefícios em ter uma dessas belezinhas. Ao tirar os sapatos (depois de usados), eles sempre ficam com umidade, mesmo que de maneira imperceptível. Esta condição "molhada" pode causar não só um péssimo odor, como também alterar as dimensões do seu calçado, por causa da contração/estufamento ocorrido pela absorção e evaporação de líquidos.

Essas peças também ajudam a “endireitar” os sapatos após o desgaste que eles sofrem quando você anda. Não à toa, sapatos antigos mal conservados tendem a parecer “tronchos” e meios sem forma. Agora você sabe o porquê.

Mas não precisa ter uma fôrma pra cada sapato. Três horas quietinhos dentro dos sapatos que você acabou de usar já é mais que o suficiente.

Qual a melhor fôrma? 

Caso possa investir um pouco mais em uma fôrma, opte pela de cedro virgem. Embora seja um material mais caro, nesse caso, ele realmente é o que melhor absorve melhor a umidade e elimina o odor.

Custa mais, mas tem um retorno mais potente.

Não tenho grana para uma fôrma agora. E ai?

Não se aflija, meu amigo. Há uma alternativa, embora não tão eficaz e um tanto mais trabalhosa. Utilize seu querido jornal de cada dia!

Isso mesmo. Preencha seu calçado da maneira mais próxima ao volume que seu próprio pé ocuparia. Agora deixe o jornal agir da mesma maneira com que faria se utilizasse a fôrma. É importante conferir se o jornal está rígido lá dentro.

A consistência aqui é importante, pois ela será a responsável por “endireitar” seu sapato.

O jornal tem dois fatores negativos com relação a fôrma de madeira: ele não irá retirar o odor com a mesma eficiência (embora ainda o faça um pouco) e também é um certo porre ficar encaixando jornal certinho no sapato toda vez que chegar em casa. Mas estamos falando de níveis de dificuldade e não barreias impeditivas, então, se não for preguiçoso, você conseguirá o resultado que está esperando.

Sapatos alagados, o que eu faço?

Um exemplo prático: o apocalipse resolveu passar bem por cima da sua cabeça e, naquele temporal todo, seus sapatos ficaram totalmente encharcados. Ao chegar em casa, o tempo resolveu ser irônico contigo e abriu aquele solzão. O que você faz com seus sapatos?

"Coloca no solzão aê né!?"

De jeito nenhum!

Deixar o couro secando ao sol (ou em uma secadora bruta) fará com que ele seque muito rápido e rache. O melhor caminho a seguir é deixá-lo secando ao natural, em um ambiente iluminado, mas em que ele não receba calor intenso.

O grande truque aqui é nosso polivalente jornal. Coloque algumas páginas dentro para retirar o excesso, pressione um pouco contra o couro e, na sequência, já retire o jornal. Repita o processo 2 vezes ao menos. Isso acelera muito a secagem e evita o risco do calçado ficar cheirando a temível “toalha molhada”.

Obs: é importante não deixar o jornal esquecido lá dentro. Ele solta um pouco de tinta e, bem, corre o risco de manchar (por dentro) o teu querido sapato.

Agora é tempo de polir!

Lembre-se que a primeira etapa aqui é passar um pano úmido em todo o sapato, então, passe uma escova com vigor, principalmente onde o couro dobra ao andar, pois é nesta parte que fica depositado a maior parte dos resíduos de pó.

Atenção: evite utilizar sabão na limpeza. Normalmente terão resíduos químicos que vão alterar a cor e danificar o material que está sendo limpo.

Engraxar é uma ação que só deve ser realizada após o calçado estar completamente limpo, caso contrário, você só irá camuflar a sujeira e não aumentar a vida útil dos seus sapatos.

A graxa dever ser colocada em um pano liso (camiseta velha de algodão é uma ótima pedida), depois passada de maneira circular, assim você obtém um resultado uniforme e sem oscilações de cor ou brilho. A função da graxa não é só fazer brilhar, mas também hidratar o couro e evitar que ele resseque.

Agora é tempo de polir! Versão sem grana nenhuma! 

É isso mesmo, amigo. A foto não mente. Nosso item mágico em questão é uma banana! O óleo e o potássio da casca da banana são ótimos para polir e hidratar seus sapatos!

O processo todo é bem simples: pegue a casca de uma banana, (evite as muito maduras, pois são meladas em excesso) e esfregue a parte interna no sapato, tal qual faria com o paninho e a graxa.

Deixe agir por alguns minutos e, quando o sapato aparentar estar mais seco, pegue um pano macio e retire os excessos, sempre esfregando de maneira circular.

Pronto! Você acaba de polir seus sapatos sem gastar nada e da maneira mais ecológica e sem resíduos possível.

E a camurça, o que é?

A camurça natural é a pele curtida de qualquer animal (nos primórdios, era somente a pele da própria camurça, este simpático bichano da foto. Daí a origem do nome). A diferença do couro comum para camurça é que ela é a parte interna da pele do animal (ao contrário do couro tradicional), por ser mais fina, também é mais macia, porém, mais delicada no trato e na manutenção.

Para limpar um sapato de camurça natural, utilize somente uma escova macia, sempre seca. É a melhor maneira de mantê-lo conservado. Esse é um dos materiais mais delicados usado em sapatos, é comum também encontrar sua variante sintética que tem propriedades parecidas, porém, de mais fácil trato.

Cadarço lava?

Sim senhor!

Não é necessário que seja com tanta frequência como o polimento, mas é interessante que eles não estejam encardidos, pois isso pode alterar sua cor e, também, claro, ajudar no aumento do odor desagradável (cadarços também fedem, amigo!).

Para lavá-los, encha a pia com água quente e pouco sabão, deixe-os de molho por cerca de 10 minutos, depois enxague bem com água fria. Então é só deixar secando e pronto. Cadarços limpos e cheirosos!

Dicas ligeiras, mas não menos importantes

1. Essa é receita da minha avó. Seu calçado está no maior fudum da história e não sai de jeito nenhum? Pegue carvão, quebre em pequenos pedaços, encha uma meia com eles e deixe por um dia dentro do mal cheiroso. Repita uma vez por semana durante um mês.

2. Tênis também ficam “tronchos” e sem forma. No caso deles, o maior culpado costuma ser o próprio dono. Ao tirá-los, sempre desamarre-os antes. Tirar sem fazer isso é pedir para que eles percam a forma e fiquem com um formato de coisa nenhum, estilo chuteira velha.

3. Por fim, fui pesquisar um pouco sobre laços de cadarços, pois neste quesito meu conhecimento é praticamente nulo. Foi então que me deparei com um site que irá dizer tudo que eu poderia dizer depois de estudar durante anos: o Ian's Shoelance Site!

Obs. importante: cara, esse Ian é muito transtornado.

Por hoje é só pessoal, espero que tenha sido útil e divertido!


publicado em 05 de Maio de 2013, 21:00
11304492 1107811912567819 865753018 n

Bruno Passos

Pintor e dono da Conto Figueira. Ama livros, filmes, sol e bacon. Planeja virar um grande artista assim que tiver um quintal. Dá para fuçar no Instagram dele para mais informações.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: