A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Skyline: corda bamba nas alturas

Em altitudes onde seres humanos normais nem conseguiriam respirar, tem gente que faz até acrobacia: skyline, a modalidade mais radical da corda bamba.

Highline

O Vale de Yosemite foi palco da história de um dos maiores escaladores que já existiram, Dan Osman recentemente retratado aqui no PdH. Também foi palco de um fenômeno que vem crescendo de forma acelerada em todo mundo: o slackline (corda bamba) em grandes alturas, o que chamávamos de highline e, mais recentemente, de skyline.

Em 1983, Adam e Grosowsky e Jeff Ellington instalaram uma corda de 17 metros no topo do Lost Arrow Spire, a 880 metros de altura, mas nenhum dos dois conseguiu cruzar a corda e chegar do outro lado. No ano seguinte, outradupla resolveu esticar uma corda não-convencional, de formato achatado, mas apenas um deles conseguiu cruzar toda extensão; o outro só veio a cruzar quase 10 anos depois.

O recorde da mais longa caminhada utilizando uma corda bamba em grandes alturas é de 103 metros, alcançado por Andy Lewis. O mais alto highline já executado aconteceu na montanha de Kjerag, na Noruega.  Christian Schou entrou no livro dos recordes ao andar a uma altura superior a mil metros. Nessa altitude, grande parte dos humanos mal conseguiria soltar a respiração.

Link Vimeo | Highline em Yosemite.

A Corda Bamba

O slackline atual é um webbing (uma corda chata) de aproximadamente dois centimetros e meio, tensionada entre duas âncoras. O formato da corda evita que os pés rolem pra fora da corda como aconteceria com cordas convencionais. A corda não é usada apenas para atravessar; grandes movimentos e acrobacias podem ser executados em cima dela, tais como:

Saltos: Devido a tensão da corda, ela reaproveita a tensão causada pelo peso e acaba agindo como um trampolim, facilitando saltos.

Surfar na corda: Balançar de um lado para o outro utilizando a corda como uma prancha de surf. Funciona tão bem que esse tipo de corda também é utilizad no treinamento de surfistas.

Acrobacias: Saltos de 180 e 360 graus, saltos mortais saindo da corda para o chão, plantar bananeira e até mesmo malabarismos podem ser executados em cima das cordas.

Há anos que artistas circenses andam em cordas bambas, mas a prática do slackline de forma esportiva é algo mais recente. Ninguém sabe ao certo suas origens. Diz a lenda que tudo começou quando escaladores que não podiam escalar devido ao mau tempo começaram a brincar de equilibrar em uma corrente de estacionamento. E teria vindo a revelação: por que não esticar uma corda... entre prédios?

Skyliners: o documentário

As cenas são tão bonitas que passamos grande parte do tempo procurando por reflexos da tela verde. É difícil acreditar que alguém consiga realmente andar em cima de uma corda em alturas tão impressionantes sem ficar extasiado seja pelo medo, seja pela beleza da paisagem, e que ainda assim consiga andar, se equilibrar, fazer acrobacias.

Skyliners em Mont Blanc

Como o próprio documentário faz questão de esclarecer, Skyliners é um documentário sobre highline, feito por highliners. Abaixo, o grupo na mais alta das montanhas dos Alpes, a Mont Blanc.

Link Vimeo | Skyliners em Mont Blanc.

Skyliners em Paris

Não satisfeitos em chocar o mundo com cenas estupendas em locais de incrível beleza natural,  a equipe de Skyliners resolveu colocar sua slackline entre as maiores torres gêmeas de Paris, admirando todos os que passavam. Qual será o limite para a coragem humana?

Link Vimeo | Skyliners em Paris.

Ladies Room nas alturas

Apesar da maioria dos highliners serem homens, existem diversas mulheres habilidosas fazendo acrobacias que deixariam muitos marmanjos chorando de medo. Abaixo, algumas cenas de Send it sistah!

Link Vimeo | Send it sistah!


publicado em 01 de Setembro de 2011, 11:39
12596172 10153389055960906 1551523976 n

Alberto Brandão

É analista de sistemas, estudante de física e escritor colunista do Papo de Homem. Escreve sobre tudo o que acha interessante no Mnenyie, e também produz uma newsletter semanal, a Caos (Con)textual, com textos exclusivos e curadoria de conteúdo. Ficaria honrado em ser seu amigo no Facebook e conversar com você por email.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura