Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 4 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

Vai jogar no gol

O goleiro é sempre o pior jogador em campo. E eu posso dizer isso pois sou goleiro.

Não estou falando que, tecnicamente, o goleiro é eternamente o maior perneta do time. Tudo começa na formação profissional do peladeiro. Ninguém quer ser goleiro, ninguém nasce falando "ah, quero ser goleiro, isso parece bacana".

Todo garoto que começa a jogar futebol quer ser o próximo Pelé, Robinho, Ronaldinho, Neymar ou o atacante da moda naquele momento. Fazer gol no futebol é o que importa, e isso é o que mais atrai. Quando o garoto percebe que não é bom atacante (e isso pode ser em vários fatores, como posicionamento, faro de gol ou finalização), ele acaba sendo rebaixado para o meio campo. E aí vem a triste notícia: se ele não tem visão de jogo ou um bom passe, ele não pode ser um armador, nunca vai ser o jogador dos passes certeiros, precisos como um oficial de justiça cobrando pensão alimentícia.

Desiludido como atacante e meia armador, resta ao pobre infante jogar de volante. Para quem não sabe, o volante é a espinha dorsal de qualquer futebol. Ele é o cara responsável por cobrir o meio campo e o atacante durante os ataques e é ele quem precisa dar a primeira assistência aos zagueiros em caso de contra-ataque. Resumindo, o volante é o cara que mais corre no time. Por isso, quando o menino percebe que seu pulmão só serve para jogar futebol no videogame, ele é rebaixado novamente.

Um dos últimos a ser escolhido nas peladas, ele vai jogar junto com os gordinhos na zaga. Ali, ao que parece, não é preciso talento. Basta tentar roubar a bola ou uma canela. Porém, às vezes nem isso é possível. E é aí, meus amigos, é que nascem os goleiros.

Barbosa jogou, viveu e morreu como um vilão

É claro que existem exceções. Já diziam as escrituras: "No sétimo dia, do sétimo ano do alinhamento das constelações de Touro e Andromeda, nascerá aquele que nasceu para defender os atacados". Somente em um alinhamento astral é que nascem os goleiros de gosto. Todos os outros foram para o gol pois faltou talento para jogar na linha.

Obviamente que depois disso nasce uma paixão. Claro, tal qual mulher de malandro, é uma paixão ingrata. Se o goleiro é a estrela do time significa que ele joga em uma equipe medíocre e nunca será campeão. Se ele agarra muito e falha uma única vez, Deus, é a assinatura da própria incompetência. A falha foi em um clássico? Não importa que o time inteiro falhou para você ter que tentar defender aquela bola. A culpa é sua, somente sua, para todo o sempre. Já dizia a lenda: o goleiro é tão maldito que o chão em que ele pisa não nasce grama.

Engana-se aquele que acha que ser goleiro é fácil. Posso estar falando bobagem, mas até onde sei é a posição que mais exige fisicamente dentro do futebol. Todo atleta sabe que praticar esporte sem aquecimento é a receita da morte. Imagine o amigo a situação do goleiro, que fica parado e abandonado na área. Lembram do Marcos, que tomou um cafezinho durante o jogo? Claro, você não cansa de ficar correndo, mas fazer defesas e dar piques estando em uma posição estática, sem estar correndo, é simplesmente brutal. Isso sem falar nas articulações.

Link YouTube | Quer café? 

É fato que o goleiro é o jogador mais corajoso em campo. Nós somos os únicos que se atiram de cabeça, com as mãos, nos pés de um atacante durante um chute. Somos uma raça estranha ao meio. Por exemplo, o goleiro é o único jogador em campo que usa um uniforme diferente dos demais. Tem as regras também, que são específicas para os goleiros. Com tudo isso em conta, é meio frustrante o rol de glórias em que o guarda-metas se enquadra. Fora algumas exceções, como o Marcos e o Rogério Ceni, o goleiro só é lembrado pela carreira longa. Um jogador de linha se aposenta aos 35, mas é com essa idade que o goleiro esta no ápice de sua forma física.

Claro que a falta de talento não é pré-requisito obrigatório para alguém virar goleiro. Fosse assim, tem um bocado de arqueiro jogando como atacante Brasil a fora. A começar pelo Palmeiras, com o Ricardo Bueno.


publicado em 29 de Fevereiro de 2012, 11:16
8ebc5aa5fba2167653e58bb6c5ac94ab?s=130

Rodrigo Teixeira

Rodrigo é sócio do Pontapé!, paulista e esta sempre preparado para o Apocalipse Zumbi. Mas enquanto isso não acontece, passa seus dias sofrendo com o Palmeiras e acendendo velas para São Marcos em momentos difíceis.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura