Como se transforma a paternidade no Brasil? Faltam apenas 5 dias para o PAI: Os desafios da paternidade atual.
Compre já o seu ingresso!

Você é homem? Então é hora de lembrar

Dia de homem, hein.

Aposto que você, que corta lenha nas florestas do Oregon e caça alces com não mais que as próprias mãos já deve estar reclamando como um velho turrão: "má que porra de dia do homem o quê! E eu vou lá ficar comemorando dia de macho por aí?"

Pois devia.

O dia do homem é muito mais que citar as qualidades de nós, viris chefes de família, que entendemos tudo de caminhões e sabemos exatamente quais as melhores carnes para um churrasco. Esse dia, marcado por sei lá quem como nosso, serve para lembrar e celebrar grandes homens do passado que fizeram de nós desentupidores de encanamento e trocadores naturais de chuveiro, o que somos.

Você só é o que é por causa desses caras

O que o Gengis Khan fez por nós, nunca haveremos de conseguir pagar. Al Capone salvou nosso uísque do começo da noite enquanto Elvis Presley provou que mexer a pélvis com um violão a tiracolo pode garantir muitas menininhas. Esses caras que acabei de citar serviram de moldes para o que nos tornamos. Conquistadores, beberrões que só fazem música pra pegar algumas pequenas.

E o que seria de nós, colecionadores de pornochanchada, se o escritor russo Vladimir Nobokov não tivesse escrito sua obra-prima, Lolita? Como seriam as nossas doces perversões se o grande Nelson Rodrigues, no ímpeto de chocar a sociedade mostrando sua própria realidade, não tivesse publicadoA dama do lotação e Bonitinha, mas ordinária? Certamente você não seria o homem que é.

Colega de sindicato dos estivadores, lembrem-se desse dia como o dia de homenagear os vikings sitiando vilarejos, varando noites regadas a costelas de boi e jarras de hidromel. O dia para recordar todas as feitorias dos malandros da antiga Lapa que formaram o que hoje é o "jeitinho brasileiro". Daqueles bambas que viviam de boemia, de cachaça e mulata. Sem Noel Rosa, Cartola e Vinícius de Moraes, sem sei se eu queria ser cidadão brasileiro do sexo masculino.

Reconheçamos a importância para a nossa formação, da existência dos ogros dos filmes de ação: Schazzas, Stallas, e o Bruce "Yippie Kai Yei Motherfucker" Willis (com a benção dos apelidos para os Melhores do Mundo), todos esses crias de John Wayne e Bruce Lee.

Nada melhor que o passado pra fazer lembrar o que queremos do futuro

Em vez, então, de ficarmos esperando congratulações e bajulações pelo dia do homem, tratemos de manter viva a figura daqueles que, de uma forma ou de outra, montaram a base para podermos ser o que somos hoje. De minha parte, lembrarei de Xico Sá, que resgatou o modo macho de ser, mas sem ser macho, do grande John Fante, o perdedor nato mais estiloso que esse mundo já viu, e do grande mestre Clint Eastwood, que construiu toda a aura do machão armado e, como quem não quer nada, destruiu todo o mito com sua sensibilidade como diretor.

Se você é o homem que diz que é, camarada entusiasta da Kalashnikov, Então faça o favor de honrar as calças que veste fazendo a sua homenagem do dia. Os homens agradecem.


publicado em 15 de Julho de 2011, 11:21
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura