Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

QG do Facebook: o DNA de um lugar está em suas paredes

Aqui no QG PapodeHomem, temos vários pôsteres, estêncils e objetos -- para não falar da nossa tábua logo na entrada, com a frase "Rotina é o hábito de se negar a pensar". Todos eles fazem parte do nosso DNA, comunicando algum tipo de valor.

QG PapodeHomem
Boas-vindas ao seu cérebro

Nossa mesa de almoço poderia ser qualquer objeto grande e plano o bastante onde fosse possível apoiar meia dúzia de pratos para os ogros devorarem seus nutrientes diários, mas fomos atrás de uma resistente e pesada mesa de madeira rústica. Poderia ser apenas uma mesa, mas queríamos que fosse uma entre várias representações de quem nós somos, dos nossos valores.

Da mesma forma, o hostel recém-aberto pelo camarada Jader Pires tem grafites e prateleiras de livros feitas com caixotes rústicos. O pequeno cartaz que comunica aos hóspedes a senha do Wi-Fi tem uma imagem que conta a própria história de como a senha foi escolhida.

É para as paredes de um lugar que você deve olhar se quiser descobrir o DNA de onde está. Da esterilidade de um hospital até a sujeira iluminada por neon vermelho de um puteiro, tudo que você precisa saber está ali, ao nível dos seus olhos.

Um belo exemplo disso, que podemos admirar e levar para as paredes das nossas próprias cavernas, é o novo escritório do Facebook. O Mashable publicou uma galeria com imagens de lá e ficamos aqui pagando pau para alguns princípios e ideais muito fodas que foram traduzidos pela própria construção e configuração do lugar.

Por exemplo:

Unificação

não existem

O grande lance das paredes neste espaço é que elas . As diferentes equipes podem se enxergar, aumentando as possibilidades de inspiração, comunicação e criatividade.

Há quem duvide da eficácia dessa configuração (o próprio Guilherme é adepto das salas menores, por acreditar que precisamos de momentos de introspecção impossíveis em espaços grandes e compartilhados), mas Mark Zuckerberg não parece ser um deles.

Paredes para usar

Muitas das paredes que de fato estão lá foram pintadas com tinta de quadro negro, e cada empregado ganha uma caixa com giz. Dessa forma, em vez de barreiras e separadores, elas se tornam veículos para quem quiser esboçar, diagramar ou comunicar ideias.

Inacabado

A tubulação toda aparente no teto não é relaxo ou falta de verba, é proposital. O aspecto inacabado funciona como uma eterna lembrança de que a gente nunca chega ao fim do que está fazendo. O trabalho nunca está concluído a tal ponto que não possa ser ser melhorado, expandido, reinventado.

Acreditamos muito nisso também aqui nesta casinha no bairro paulista de Perdizes.

Transparência

Reuniões a portas fechadas? Não aqui. As laterais das salas de reunião são de vidro, de modo que os empregados se sintam por dentro dos acontecimentos.

Não me surpreenderia em descobrir que Facebook seja adepto de alguns preceitos do livro Rework, escrito pelos fundadores do 37signals (que, por sua vez, é a empresa responsável pelo Basecamp, o aplicativo web que usamos para organizar projetos no PdH). Uma das ideias centrais do Rework é que reuniões devem ser feitas o mínimo possível. O fato delas acontecerem em aquários provavelmente adiciona uma camada de desconforto que pode funcionar para torná-las mais breves.

Troca de ideias

Aqui, temos uma grande mesa onde cabem de oito a dez ogros ao mesmo tempo, comendo e falando coisas largamente impublicáveis na maioria das vezes.

No Facebook, repare como as mesas são várias e menores, para não muito mais do que duas pessoas. A razão é fomentar diálogos individuais na hora do almoço, onde ideias possam ser discutidas e relações entre funcionários possam ser desenvolvidas.

Barriga cheia, cabeça no lugar

pause

O aspecto da alimentação é bastante negligenciado em muitas empresas. Elas acham que jogar dinheiro no problema -- na forma de vales -- é a melhor solução, quando na verdade o mais adequado é quando o funcionário tem a opção de dar um no trabalho para ir pensar em alguma solução enquanto come um pão, um salgadinho ou toma um suco.

Isso é algo que eu posso falar com propriedade. O fato de nós almoçarmos a deliciosa comida da Mônica aqui no QG PdH, e de sempre ter alguma coisa na geladeira pra comer à noite quando é necessário ficar até mais tarde, é um dos meus aspectos favoritos de trabalhar aqui.

Empatados com abraçar a Ju quando chego de manhã e ouvir as trocas de comentários babacas entre o Jader e o Rodolfo.

Discrição

O prédio da imagem acima não grita "ei, eu abrigo uma empresa moderna e inovadora, que impacta o mundo inteiro diariamente" (este link leva para o melhor documentário a respeito da empresa). Na verdade, até algum tempo atrás o mesmo prédio abrigava a Sun Microsystems, uma empresa com imagem bastante conservadora. No entanto, é ali que a mágica do Facebook acontece.

O máximo que eles têm de extravagância externa é a mão do "curtir" na entrada. O importante é fazer, não ficar pavoneando.

* * *

 YouTube | Mark deixando o seu DNA (precário) na parede

* * *

Não sei em você, mas em mim dá vontade de reorganizar a casa inteira depois de analisar e observar essas coisas em outros lugares. Quem sabe eu faça exatamente isso.

Estamos planejando aqui, eu e Guilherme, fazer para breve um novo post mostrando fotos do QG PdH e como o nosso espaço nos traduz.

Enquanto isso, conta para nós: o que você tem nas paredes sua casa ou local de trabalho que represente o seu DNA, o seu modo de enxergar e fazer as coisas?


publicado em 17 de Maio de 2012, 16:04
File

Fabio Bracht

Toca guitarra e bateria, respira música, já mochilou pela Europa, conhece todos os memes, idolatra Jack White. Segue sendo um aprendiz de cara legal.\r\n\r\n[Facebook | Twitter]


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura