Gerard Piqué, do Barcelona, entrevista Gianluigi Buffon, maior goleiro de todos os tempos da Juventus

Aos 40 anos, o ídolo máximo de Turim, eleito melhor goleiro do mundo várias vezes, pendura as chuteiras

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Asm selo png
  • 130x50 jpg

Eles são ídolos em seus times. São bonitos. São grandes homens. Conheceram glórias sem tamanho e os piores sofrimentos.

Piqué é o grande zagueiro do Barcelona. Campeão de tudo.

Buffon, a0s 40 anos, é e foi o maior goleiro da Juventus, time por qual venceu o campeonato italiano nove vezes. E essa foi sua última temporada.

Participou de cinco Copas do Mundo — só três outros atletas alcançaram tal feito. Foi vendido da Parma para a Juventus por 52 milhões de euros, goleiro mais caro da história do futebol, recorde que permanece até hoje.

Piqué foi até Turim entrevistar Buffon, num delicioso papo, que pode assistir abaixo:

Link Youtube

Como lambuja, a carta de despedida de Buffon para a torcida da Juventus, escrita há dois dias:

"Seis mil cento e sete dias. Seis mil cento e sete dias de pura paixão. De alegria, de choro, de derrotas e vitórias.

Obrigado. Obrigado a todos vocês. Porque cada um de vocês ajudou a tornar especiais todos os momentos da minha vida vestindo preto e branco. Uma vida que se tornou minha segunda pele. Uma pele que eu vesti, amei e respeitei. E que eu mantenho guardada e protegida comigo. Com todas as minhas limitações, mas também com toda paixão que sempre me acompanhou.

Amanhã, uma jornada termina. É o fim de um livro que escrevemos juntos. A emoção é grande. Enorme.

Uma nova jornada inevitavelmente vai começar. Um novo livro. É preciso começar. A Juventus permanecerá acima de qualquer jogador, sempre. E vai continuar a escrever outras importantes páginas desse livro que eu imagino ser infinito. Porque esse é um DNA único e inigualável. Irrepetível e magnífico. A Juve é uma família. Minha família. E eu nunca vou deixar de amá-la, respeitá-la e chama-lá de casa. Porque ela me deu muito. Tudo. Certamente muito mais que eu fiz por ela.

Uma jornada inevitavelmente vai começar. Um novo livro. É preciso começar. Por mim, vou aprender a olhar o futuro com olhos diferentes. Vou começar a reunir novos desafios que a vida vai me propôr com a curiosidade daqueles que não querem parar de se sentir "no jogo". E vou sentir o medo saudável daqueles que viveram vários desafios. Às vezes venceram, muitas vezes perderam, mas que sabe que cada desafio é diferente do anterior. E mais difícil.

Eu cheguei no estádio de bicicleta. Era tão novo. E amanhã eu gostaria de metaforicamente sair para poder saborear cada momento, sentir a fadiga do desapego. E a alegria das saudações. De me animar. E de entender que nunca vou estar longe daquele lugar que vou chamar de casa. Para sempre! E agradecer os companheiros e amigos que nunca vou deixar de chamar de IRMÃOS!

Até o fim. Para sempre vosso. Gianluigi Buffon."

* * *

Palmas aos dois. Palmas ao "The Players' Tribune", um de nossos veículos preferidos, por fazer essa conversa acontecer.

ps.: esse também foi o ano da despedida de Iniesta. Veja aqui fotos maravilhosos dele sozinho do campo do Barcelona.


publicado em 22 de Maio de 2018, 11:28
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: