Pessoas pra manter distância na festa de final de ano do trabalho

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Finalmente chegou dezembro. Sabe como é, final de ano, época de encerramentos, festas e comemorações, tanto na vida pessoal quanto no trabalho. Se entre os seus amigos e familiares é hora de ceias, visitas a parentes, projetos de réveillon com amigos e presentes para os irmãozinhos da namorada, no trabalho é a vez dos amigos secretos, das reuniões de balanço e das festinhas de final de ano. São eventos tão clássicos quanto o especial do Roberto Carlos na Globo e aquele filme esquisito de natal com a Whitney Houston no SBT, sem os quais o ano virtualmente não termina.

Link YouTube | fecha o ciclo porque você espera tanto pra parar de passar isso que, quando acaba, é um ciclo de desespero que termina

Dentre todos esses eventos fechadores de ciclo, um dos mais complexos, delicados e potencialmente comprometedores é a já citada festa de final de ano da empresa, uma vez que ela funde, no mesmo ambiente, o profissional e o pessoal – “ôrra, meu” – com resultados que podem ir desde uma excelente oportunidade para realizar networking, trocar idéias num ambiente mais descontraído e reforçar os laços de amizade com sua própria equipe até a possibilidade de gerar constrangimentos no ambiente de trabalho, descobrir que o cara da mesa ao lado usa roupa íntima feminina e ser demitido por assédio sexual. Coisas assim.

Por isso, com a intenção de te dar uma ajuda naquele momento em que você acaba de entrar na sala, pegar seu copo de plástico e olhar preocupado para todas aquelas pessoas que você já conhece mas possivelmente estão usando roupas que você não gostaria de ver, te damos quatro dicas essenciais de pessoas de quem você deve manter uma distância segura nos eventos corporativos desse mês de dezembro.

O colega micareteiro

Uma dessas pequenas lições que qualquer consultor profissional desses que aparecem no Fantástico todo domingo podem te dar é a de que você não deve misturar trabalho e prazer. Sair com a secretária? Errado. Dormir com a colega? Ruim. Ir pra cama com a chefe? Absurdo. Se roçar com o cara da manutenção? Sem preconceito, pra nós todos são iguais, mas não é bacana também.

E ainda que isso não seja uma linha tão rígida quanto todos querem fazer parecer – nós vemos The Office e nós sabemos que o amor de nossas vidas pode estar na mesa ao lado – é sempre de bom tom tentar evitar aquele romance tórrido dentro do escritório, na medida do possível.

Mas é claro, sempre tem aquele colega que acha que isso é besteira, trabalho é lugar de pegação, elevadores são antros de romance, o alarme de incêndio é uma música do Asa de Águia e as mesas do escritório tem aquela altura exatamente pra facilitar o desempenho sexual da galera.

É esse o cara que vai, depois de duas cervejas, chamar a gerente da contabilidade de gostosa, tentar encoxar a estagiária perto da máquina de fotocópias, travar o elevador com a mulher do RH dentro e possivelmente ser contido pelos seguranças depois de atacar a senhora da faxina tentando fazer pole dance num rodo. Tente ficar longe dele. 

A secretária gostosa e maluca

Ainda no capítulo do romance no escritório, algo que convém ressaltar e que é essencial para que qualquer coisa aconteça sem danos profissionais, seja uma ficada de uma noite só ou um romance pra contar pros netos, é não se envolver com nenhuma mulher que seja possivelmente maluca.

Sim, eu sei que parece uma recomendação óbvia – “dããã, quem se envolve com malucas, cara?” – mas uma das grandes verdades é que convivemos com mais pessoas loucas do que podemos imaginar, elas sempre estão mais perto do que a gente espera e várias vezes elas tem decotes enormes, sentam em posições provocantes e elogiam a camisa social que a gente usou naquele dia.

Por isso, por mais linda, sensual e provocante que aquela colega de trabalho seja, se ela está sempre gritando ao telefone, fazendo voz de bebê em reuniões, mudando de humor bruscamente como o Forrest Whitaker no Último Rei da Escócia ou apenas contando bonitas e edificantes histórias sobre como esfaqueou o último ex-namorado porque ele estava dando um abraço mais longo na própria tia, tente evitar o contato, não dar muita brecha e, em hipótese alguma, aceitar esticar a noite pra um barzinho seguido de passada em casa.

E não, não falo apenas da possibilidade de que ela queira discutir o relacionamento durante reuniões, exponha seu desempenho sexual no trabalho ou bote fogo num relatório por causa de uma briga entre vocês. Nada disso. Tô falando daquele lance tenso da facada mesmo.

O chefe de coração aberto

É sempre bom cair nas graças do chefe, certo? Então quando o cara te chama, coloca a mão no seu ombro e, apesar de ter errado seu nome – quem diabos é Jefferson? – te diz que você é o futuro da empresa, você fica, é claro, feliz. E quando ele diz que você é um dos poucos em quem ele pode confiar ali dentro, você fica mais feliz ainda.

Mas quando ele diz que a empresa é um ninho de cobras, você já fica meio preocupado. E quando ele te puxa pro canto, fala que tá pensando em demitir metade desses vagabundos, incluindo o Denílson da entrega, que ele sabe que passa o dia todo vendo pornô, você fica bastante sem graça. Sensação essa que só vai se agravar quando ele falar do divórcio, dos problemas com a filha mais velha que tá grávida e não sabe quem é o pai e do dinheiro que ele deveria ter depositado no fundo de garantia dos empregados mas perdeu todo no jóquei clube com um cavalo chamado “Panceta” – “era uma barbada, Jefferson, barbada”.

“E agora senta aqui que eu vou te contar como fiz aquele lance da cabeça de cavalo”

A verdade é que existem certos limites práticos pra intimidade que você deveria ter com chefes e que você pode ganhar muito respeitando. Isso torna ruim, errado ou proibido ser amigo do seu chefe? Claro que não, afinal, Mark Zuckerberg e Roberto Carlos sempre nos disseram que amigos nunca são demais e apenas nos fazem crescer como pessoas, mas é interessante delimitar linhas entre onde fica a amizade e começa a relação profissional, pra que as duas coisas não se misturem de forma perigosa e você seja demitido porque fez uma piada de mãe ou perca a amizade porque os gráficos de vendas caíram.

A contadora drama queen

Todo mundo tem problemas. Você tem um cachorro que morreu, ele tem uma namorada que foi embora, eu tenho uma mudança de apartamento pra resolver, ela tem um cartão de crédito que estourou. Todos nós temos nossos pequenos ou nem tanto dramas cotidianos, com os quais tentamos lidar da melhor forma possível, compartilhando apenas com nossos amigos, familiares e pessoas de confiança, sem deixar que eles se tornem o centro de nossas vidas e contaminem nosso trabalho e nosso lazer.

Mas algumas pessoas, é claro, não são capazes de fazer isso. Algumas pessoas sentem a necessidade de verbalizar, pormenorizadamente, todo e cada um dos seus problemas, diversas vezes, com qualquer pessoa que se aproxime, independente de proximidade, intimidade, amizade ou mesmo da pessoa estar interessada. A pessoa ao seu lado é uma delas.

E então você ouve histórias sobre gatos, doenças na família, ex-namorados que sumiram, colegas de equipe traiçoeiros, depiladoras violentas, carteiros insensíveis, numa sucessão de problemas, dramas e tragédias que fariam com que Platoon parecesse uma comédia romântica e os dois discos da Adele fossem trilha sonora do desenho dos ursinhos carinhosos, te fazendo entender porque as pessoas evitam a mesa dela, porque ela nunca é chamada pros happy hours e porque aquele cara da loja insistiu tanto pra você comprar o celular no qual dava pra programar uma chamada falsa pra acontecer  a qualquer hora do dia.

E agora ela começou a falar que vai precisar fazer uma cirurgia. Vai ser uma festa longa e você começa a pensar em apresentá-la pro colega micareteiro, só pra ver no que dá.

Mecenas: Pão de Açúcar

Depois de escolher os itens do jantar e encomendar pra tia aquela sobremesa especial, vem a parte mais difícil do Natal: montar a Ceia!

O Pão de Açucar, com toda sua sagacidade, nos trouxe um video para mostrar aos atrapalhados de plantão como resolver isso. O "Nossa Ceia Sabor" é um tutorial muito maneiro que ensina a fazer e organizar a sua ceia feito um chef! É só dar o play.

Link YouTube | Ceia Sabor

Pra quem gostou e quer mais, ainda dá pra pegar a receita da nossa sobremesa lá no Facebook do Pão de Açúcar. Lá também dá pra ver a linda ceia criada pelas meninas do "Oficina de Estilo", que montaram um noite light.

Link YouTube | Ceia Leveza

Com tudo isso, nós do PapodeHomem, junto com o Pão de Açucar, desejamos um Feliz Natal pra quem vai passar o feriado longe da família, perto dela, sozinho ou cercado de gente, afinal, todo Natal é especial, não importam os ingredientes da noite!


publicado em 19 de Dezembro de 2011, 05:08
Selfie casa antiga

João Baldi Jr.

João Baldi Jr. é jornalista, roteirista iniciante e o cara que separa as brigas da turma do deixa disso. Gosta de pão de queijo, futebol, comédia romântica. Não gosta de falsidade, gente que fica parada na porta do metrô, quando molha a barra da calça na poça d'água. Escreve no (www.justwrapped.me/) e discute diariamente os grandes temas - pagode, flamengo, geopolítica contemporânea e modernidade líquida. No Twitter, é o (@joaoluisjr)


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: