Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Sem dor, com ganho

Exercícios físicos se transformaram numa forma moderna de punição. Um modelo onde só pessoas com capacidade quase masoquista conseguem tirar proveito do sofrimento, enquanto esperam o tão sonhado resultado. É quase como vemos o trabalho. Não gostamos de estar ali, mas fazemos permanecemos com foco no salário.

Quando assistimos comerciais de marcas esportivas, tudo parece divertido e excitante. Aquela cena do jogador de futebol subindo e descendo escadas sem parar, quase desistindo, mas que segue em frente por sua incrível dedicação. No vídeo é bem mais legal do que acontece na vida real.

Obviamente, existe um esforço necessário para sair da zona de conforto. Um movimento que precisa ser iniciado para conseguirmos dar sequência. O esforço em parceria da disciplina – capacidade de adiar a satisfação do resultado – são peças que nos ajudam a seguir, mas podem ser amenizadas.

Falhamos frequentemente na busca de um estilo de vida mais saudável simplesmente porque estamos fazendo algo que não dá o mínimo tesão. Definimos nossas atividades nos baseando na realidade e vontade de outras pessoas. Por isso desistimos logo adiante, nos perguntando como os outros conseguem.

Não precisa ser assim.

Entendendo para mudar

jeff-bridges-a-julianne-moore-ve-filmu-big-lebowski

Pense um pouco, por que precisamos correr 40 minutos para considerar que fez seu exercício aeróbio? Por que devemos fazer exatamente o que as outras pessoas estão fazendo para sentir que estamos no caminho certo?  Por que simplesmente não fazemos algo que gostamos como forma de nos exercitar?

É muito difícil reconhecer e assumir que somos diferentes, temos outra necessidades e respondemos a incentivos de forma completamente diferentes. Temos nossas próprias vontades e formas de querer as coisas. Por que então não substituímos algumas atividades chatas por coisas que gostamos?

Para substituir algumas atividades, vamos entender um pouco como os exercícios funcionam. Quando corremos, por exemplo, o que estamos fazendo é aumentar a quantidade de vezes que seu coração bate. Quanto maior a velocidade, mais rápido nosso coração bate, mais rápido ficamos cansados. Procuramos assim estabelecer um ritmo, mantendo o coração numa frequência que nos canse mas não nos impeça de continuar. Esse processo força nosso corpo a se adaptar ao esforço, nos tornando assim mais resistentes.

Compreendendo este conceito, qualquer atividade que siga essa mecânica terá um potencial de queima de gordura e melhora cardio-vascular similar ao da corrida. Digo similar porque cada atividade tem sua particularidade, nenhuma delas é idêntica em sua execução e resultado total.

Brincando com o corpo

Podemos levantar uma série de práticas divertidas que, diretamente, não possuem nenhuma relação com fortalecimento do corpo, mas quando feitos de forma consciente proporcionam resultados não apenas físicos, mas um aumento da motivação.

Abaixo organizei uma lista de atividades bem divertidas e que garantem seus ganhos.

1. Bicicleta

va-de-bike2

Uma das atividades interessantes para se utilizar como diversão é o ciclismo. Mesmo não tendo uma bicicleta cara e equipamentos chiques, é possível cair na pista e gastar algumas horas conhecendo lugares que nunca esteve antes.

Se mora em uma cidade, tente visitar um bairro no qual nunca esteve. Se gosta de tirar fotos, aproveite para fotografar a paisagem ou arquitetura da cidade.

2. Boliche

Apesar de não ser uma atividade que acelere os batimentos cardíacos, passar uma hora levantando e lançando bolas de – em média – 10kg, tentando derrubar o maior número de pinos que conseguir é bem intenso.

Não é raro as pessoas acordarem no dia seguinte a uma sessão de boliche com intensas dores musculares.

A diversão acaba não deixando você notar que está, na verdade, levantando e arremessando bolas pesadas.

3. Paintball

paintball-shot-gun

É uma das formas mais divertidas de suar bastante.

Organize um time e marque uma hora no campo. Faça partidas de mata mata ou captura de bandeira.

Se conseguir reunir uma quantidade maior de gente, montar um torneio de 2 dias pode garantir longas horas de exercício e diversão.

Uma boa recompensa para o time vencedor pode ajudar a acelerar a coisas.

4. Brincadeiras antigas

Gato Mia, pique bandeirinha, esconde-esconde e queimada. Procure resgatar algumas das brincadeiras que fazia com seus amigos na infância e gaste um final de semana revivendo estes momentos.

São brincadeiras que exigem movimentação e um longo período de atividade alternado com períodos de descanso. Se conseguir reunir um grupo de amigos, faça uma olimpíada com as mais variadas atividades.

Fiz um post reunindo algumas ideias há um tempo, pode ajudar com ideias.

5. Videogame com sensor de movimento

Dance-Central-2-Xbox-360-Screenshot-1

Outra das novidades modernas que ajudam as pessoas a se manterem ativas são os jogos utilizando sensores de movimento.

Confesso que no começo eu era meio cético quanto à capacidade de ficar cansado com este jogos, mas depois de começar a jogar, reconheço que dá pra terminar completamente suado. Dou preferência aos jogos de dança, os de luta ou aventura.

Em uma hora dá pra se divertir bastante.

Existem sensores com excelentes jogos para todos os videogames atualmente no mercado.

6. Aulas experimentais

Algumas pessoas, como eu, se divertem experimentando atividades novas. Não são atividades que pretendo me engajar, mas que vou fazer para me divertir, só pelo gosto de fazer algo diferente.

Faça uma lista de aulas experimentais e tente experimentar cada uma delas com uma certa frequência. Alguns lugares cobram por aulas experimentais, mas é sempre um custo bem aceitável.

Teve uma época que eu gostava de fazer aulas experimentais de artes marciais, experimentando os mais variados estilos e dinâmicas. Vale ressaltar ainda a possibilidade de descobrir o esporte da sua vida.

Com isso, você pode se divertir experimentando os mais variados esportes, sem a necessidade de fixar um compromisso e a busca de resultados específicos.

Alguns exemplos de atividades que valem a pena passar para experimentar uma aula são: Ginástica Artística, Artes Marciais, Remo, Yoga, Dança e Escalada.

7. Jogos e Prendas

Nos últimos tempos tenho jogado bastante videogame.

Tem dias que prefiro dar uma desligada da pressão e ficar somente matando pessoas de mentira na frente de uma tela. Eu já tinha o hábito de fazer alguns exercícios enquanto espero os jogos carregarem, mas resolvi fazer algo diferente. Ao final do round, vejo quantos personagens matei, dobro o número e faço tudo em flexões depois.

Também arrumei uma forma de fazer isso com jogos de corrida. Se chego em primeiro, faço só 5 flexões. Quando fico em segundo faço 10, e 15 para terceiro lugar.

Essas ideias são apenas um pequeno passo para estimular sua criatividade na busca de novas formas de se exercitar. Se você não é um atleta e não tem metas realmente claras que justifiquem um sofrimento grande, busque algo que seja divertido.

Por outro lado, se você é um atleta e ama os treinos pesados e dolorosos, utilizar algumas formas de se exercitar sem pressão pode ajudar a quebrar a rotina, estimular sua motivação e sentir que todo seu treino também traz benefícios em atividades diferentes.

E aí, quais as artimanhas que vocês inventam para se movimentar enquanto não deixam de se divertir?

Mecenas: Subway

AF_BOR004413AS_620x350_PecaOferecimento
A SUBWAY sabe que a vida bate, mas também assopra. Nessa toada, quem melhor sabe trabalhar com as escolhas -- as que o acaso impõe e as nossas próprias – sempre

Autonomia de preferência, indulgência e escolha acertada. Atitudes que "mandam bem" é um estilo de vida.


publicado em 20 de Outubro de 2013, 22:01
12596172 10153389055960906 1551523976 n

Alberto Brandão

É analista de sistemas, estudante de física e escritor colunista do Papo de Homem. Escreve sobre tudo o que acha interessante no Mnenyie, e também produz uma newsletter semanal, a Caos (Con)textual, com textos exclusivos e curadoria de conteúdo. Ficaria honrado em ser seu amigo no Facebook e conversar com você por email.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura