O que a sua barba diz? Como aproveitar melhor seus pelos faciais

Temos aspectos estéticos e sociais que vão moldar a sua barba e ela passará a dizer a todos informações sobre você

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Cada tempo pede suas características. É o famoso Zeitgeist, o "espírito do tempo", que reune tudo o que pode indicar certo recorte da nossa humanidade. Os hippies nos anos 60, floridos, verão, contestação, as longas barbas. Os anos 70 e a era disco, noite, festa, pó branco. Cabelos para o alto nos anos 80, verde e rosa fluorescentes nos brinquedos e jaquetas. 

Nos anos 90, tínhamos a figura do Yuppie, derivação de YUP (young urban professional, ou "jovem professional urbano"). Esse cara zanzava por Wall Street ou na Avenida Paulista ou qualquer outro centro empresarial com seus ternos bem cortados e com aqueles telefones gigantes que funcionavam via satélite. Esse era o tipo que todo mundo queria ser, jovem e rico, bem sucedido cedo. Ele tinha corte de cabelo masculino clássico e seu rosto era extremamente limpo, bem aparado.

Logo, seu estilo estético era copiado por todos. Basta ver os atores e homens cobiçados nos anos 90 e suas caras limpas, Tom Cruise, Charlie Sheen, John F. Kennedy Jr. e outros.

 

 

Tudo isso para dizer como são mutáveis os tempos. Em vinte anos ou menos temos cá a barba como tema a ser pensado e discutido e aproveitado. Enquanto nos anos 90, ir a uma entrevista de emprego com a barba por fazer era considerado desleixo, hoje facilmente os pelos na cara são sinônimo de virilidade, ressalta a agressividade e até aumenta a credibilidade.

Ou seja, ter barba nesses tempos é tiro certo.

Sem barba é ruim? Nem um pouco, mas tê-la é aproveitar o Zeitgeist. A sua barba quer dizer algo e precisa ser assimilada. Quando ela fala, passa duas informações básicas: a situação estética, ou seja, melhoramento da harmonia do seu rosto, e a situação social, ou seja, como ela vai ser efetivamente vista pelas e interpretada pelas outras pessoas.

A barba como apresentadora social

É importante dizer que o contexto social da barba é tão mutável quanto a roupa que usamos e o que ela vai nos dizer socialmente vai depender de pedaços da sociedade. Para um pintor como o amigo e autor do PapodeHomem, o Bruno Passos, ter barba é algo banal, lugar-comum. Para a área da moda – não esqueçamos que ele também é estilista e dono da camisaria Conto Figueira – a barba pode ser até vista como algo meio batido, passado do auge, e é disso que a moda se alimenta.

Já um aspirante a executivo consegue ainda se beneficiar bastante das qualidades que a barba pode evidenciar ou construir (que falamos agora pouco, a virilidade e credibilidade). 

Jared Leto de barba? Oscar
Common de barba? Oscar
Não sei quem esse cara é. Mas se concorresse, levaria um Oscar

O tipo de barba também vai dizer a que veio e vai ser interpretado de determinadas formas. Quanto mais bem feita, por exemplo, mais respeitabilidade pode se conseguir, enquanto que as madeixas faciais mais desgrenhadas facilmente serão interpretadas como desleixo, uma coisa meio juvenil, despreocupada.

Ambas podem ser propositalmente arrumadas dessa forma. O amigo e jornalista Rafael Nardini disse pra gente como moldar sua barba e comenta bastante desses aspectos sociais.

A barba como "melhoradora" estética

A barba pode te ajudar a ficar mais bonito, mais harmonioso. Ela vai deixar de dizer coisas que seu rosto conta. Alongar o queixo, deixar o maxilar mais quadrado, esconder a papada, engrossar o pescoço, deixar seu rosto mais simétrico, sua composição visual mais harmoniosa. 

Basta você saber o que te incomoda (todos somos mais ou menos incomodados com nossa aparência, bastante termos discernimento de até onde ir nessa busca por melhorias e não fazendo disso uma guerra santa sem fim).

Acabou a papada
Alongou o queixo
Deixou o maxilar mais quadrado

Se a sua ideia não for a de se posicionar socialmente pela barba – lembrando que, mesmo que não seja essa a intensão, ela acontecerá porque não depende de você, mas de quem te vê – que ela possa servir para auxiliar no seu aspecto, que melhore sua beleza, ou melhor, a percepção que você passará de um cara com maior simetria facial.

Juntando as duas falas

Uma baita dupla, te deixar mais bonito e apresentável socialmente, a barba tem esse caráter – assim como a roupa que você usa – de fazer com que as pessoas te vejam de forma mais positiva. 

Daí é só fazer tipo Lego, estilo um quebra cabeças bem simples: como encaixar melhoramento e estilo social de modo a potencializar seu estilo, sua figura, seu contexto? 

Aprenda o que a sua barba pode dizer e o que você quer dizer com ela. faca e queijo, amigo. Faca e queijo.

Mais sobre barba

Como deixar a barba crescer: o passo-a-passo e o emocional

Os tipos de barba, do mundo real ao Instagram: 5 relatos de caras como você e eu

A primeira barba de um homem (ou o que a gente nunca mais esquece)

Arruma essa barba, rapá: como modelar a barba de maneira real e estilosa

Barba suja não rola: um guia de higiene para o lenhador moderno


publicado em 29 de Setembro de 2015, 10:38
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: