A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Assista ao nocaute brutal sofrido por Ronda Rousey no UFC 193

O reinado chega ao fim

Nada interessa mais ao UFC do que narrativas poderosas. Ontem mais uma dessas se desenrolou.

Assistimos a rainha do octógono levar uma surra e ser destronada pela desafiante Holly Holm:

Não foi um chute sortudo, foi domínio de ponta a ponta, premiado com bônus de Performance da Noite. Ronda nem mesmo participou da coletiva de imprensa, foi levada direto ao hospital para exames.

Foto por Esther Lin
Foto por Esther Lin
Foto por Esther Lin
Foto por Esther Lin
Foto por Esther Lin
E a espetacular foto do momento crucial também por Esther Lin – minha fotógrafa preferida do UFC, autora da sensível série "Focus", no qual narra os eventos entremeando imagens e fatos de bastidores, em sua agradabilíssima voz. Assista esse episódio do UFC 189 e se apaixone.
Foto por Esther Lin
Foto por Esther Lin
Foto por Esther Lin | Holly Holm com todo seu time. À esquerda, abraçado com ela, está o famoso técnico Greg Jackson. O de jaqueta marrom é seu pai, o pastor. O de verde é seu marido.

Mas quem é mesmo Holly Holm?

Conhecida por ser filha de um pastor, a lutadora de 34 anos foi campeã amadora de kickboxing e campeã de boxe em três categorias. Tem um cartel total de 33 vitórias, 2 derrotas e 3 empates. No MMA seu cartel agora é de dez lutas invictas.

Treinada por Greg Jackson – técnico pelo qual já rasguei elogios aqui –, ela é tudo, menos uma novata.

Enquanto Ronda foi o tema de 99.9% da notícias na construção do combate, Holm era apontada por alguns poucos fãs mais atentos como a possível lutadora capaz de furar o jogo de Ronda. Sem nunca ter sido derrubada, dona de poderosos chutes e de uma excelente defesa, Holm é paciente e disciplinada, e não duvido ainda de que tenha refinado sua estratégia ao máximo sendo tutelada por Greg Jackson.

Ronda lutou como se fosse apenas mais um dia para subir no ringue e fechar com uma chave de braço no primeiro round. Avançando furiosa e com a defesa aberta, foi a prova viva de que "todo mundo tem um plano até levar um soco na cara", famosa frase de Mike Tyson.

Aliás, a vitória de Holm me lembrou da também surpreendente zebra de Buster Douglas diante de um até então invicto Tyson. Se lembram dessa?

A Ronda, desejo o melhor, que se prepare e logo volte aos ringues. A popularização do MMA feminino deve muitíssimo a ela e seu carisma, que fez a quantidade de lutas crescer bastante nos últimos anos – além de engordar sua conta bancária em quase U$5 milhões:

Rousey fez sua estréia no UFC em fevereiro de 2013

A Holm deixo meus parabéns pelo trabalho e desejo estabilidade para aproveitar o bom momento na carreira.

Foto por Getty Images

É isso, senhoras e senhores. Quem aí – além de Lenny Fresquez, o próprio agente de Holm, que literalmente apostou dinheiro nela e levou mais de seis dígitos pra casa – esperava por esse resultado?

* * *

Nota editorial: aos fãs das artes marciais, recomendo os vídeos que fizemos para a série "O que aprendi...", em conjunto com o lugar:

"O que aprendi com as artes marciais", com Cemil Uylukçu

 

"O que aprendi com as Artes Marciais", com Yasin Mengüllüoglu

 


publicado em 15 de Novembro de 2015, 11:52
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura