A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

23 dias para um homem melhor

Um percurso de treinamento para melhorarmos várias esferas da nossa vida

Todos os dias a gente acorda e pensa que algo falta ou pode melhorar na vida. A insatisfação é, provavelmente, nossa maior companheira. Ela está ali, faça sol ou chuva, frio ou calor, martelando nossa mente com seus desejos e aspirações.

No entanto, apesar de tanto querermos ser pessoas melhores, seguimos sem ter muita certeza a respeito de quais caminhos tomar ou que qualidades cultivar para efetivamente tornar nosso contato com o mundo menos confuso e aflitivo.

Tudo isso, enquanto insistentemente somos bombardeados por heróis e referenciais que, de longe, sempre parecem melhores do que nós. São inatingíveis na sua pretensa perfeição, mesmo quando estão mais próximos, como nossos antepassados, às vezes cheios de regras e certezas. Mesmo eles, não nos auxiliam muito na nossa busca, frequentemente gerando ainda mais tensão, dúvidas e confusão, por mais que estejam bem intencionados.

Nós mesmos, conhecendo bem esses anseios, queremos compartilhar algo com vocês.

Existe isso de se tornar um homem melhor?

Existe. Mas minha aposta é que nunca acontece quando tentamos fazer isso sozinhos.

Até mesmo nas histórias clássicas de self-made men, aqueles que construíram e conquistaram "tudo do zero", fica claro que não fizeram isso de modo solitário, por mais que a mídia, o cinema ou seja quem for o narrador da epopeia tentem nos vender a história desse modo.

Há sempre alguém que nos ajuda. Sempre subimos nos ombros daqueles que vieram antes de nós, direta ou indiretamente. Seja recebendo escuta, acolhida, direcionamento, ideias ou conhecimento, há estruturas e pessoas disponíveis para tornar nosso percurso possível.

Quando escuto uma pessoa dizendo que conseguiu tudo sozinha, me pergunto como pode ser autocentrada a ponto de não reconhecer quanto apoio teve.

Porém, há uma carência epidêmica de nosso tempo: a de boas parcerias.

Temos parceiros para o futebol de quarta, para o boteco de sexta, para o novo projeto na empresa, para o almoço em família, pra discutir política, pra tomar todas, pra chorar as pitangas… mas não temos parceiros de florescimento humano.

Como encontrar relações que vão além de uma cerveja no fim da tarde?

"Uma parceria pode ser assim definida: o movimento de um favorece o movimento do outro pela vida. A relação promove um avanço que ultrapassa sua redoma, invade todos os âmbitos, como quando uma mulher ajuda o marido a se alimentar melhor ou quando o sócio da empresa dá instruções de meditação para outros sócios que desejam ser menos ansiosos.", nos elucida Gustavo Gitti.

Estou falando de uma relação que não necessariamente pressupõe grande amizade ou química – ainda que isso possa ser muito bem-vindo. É um vínculo no qual vemos o outro como alguém amplo, que busca a felicidade (assim como nós) e que tem enorme dificuldade no processo (assim como nós).

Isso abre espaço para uma escuta mais generosa e uma fala mais direta e sincera. Ao nos abrirmos desse modo, podemos ser melhores aprendizes e melhores professores. Pode soar óbvio, mas é menos comum do que parece.

Quantas de suas amizades atuais são parcerias na qual o movimento de um favorece o movimento do outro pela vida, de verdade?

É possível ser amigo de alguém durante décadas, ter grande afeto e quase não beneficiar a vida do outro – ou até mesmo prejudicar e congelar percepções e preconceitos à respeito de quem ele é.

Temos algo a oferecer hoje, na parceria

Temos escutado de vocês que nosso conteúdo é ouro, mas que encontrar as pepitas em meio aos mais de 6500 artigos publicados pode ser como procurar por agulhas num palheiro.

Pensando nisso, resolvemos experimentar algo. Montamos um percurso chamado "23 dias para um homem melhor", ao longo do qual pretendemos oferecer práticas baseadas em nossos oito anos de experiência com desenvolvimento humano.

Não queremos ser só uma revista, um bloguinho ou um portal, estamos aqui pra ir além disso. Produzimos conteúdo para beneficiar vidas, na prática.

Durante cinco anos cultivamos a Cabana PdH, um espaço de crescimento coletivo para homens, que morreu e se transformou no lugar. Nossa autoridade vem das trincheiras e de grandes mentes na própria comunidade, da experiência em acompanhar centenas de homens e publicar conteúdo lido por milhares.

Ao longo dos próximos 22 dias vamos publicar uma prática diária desafiando vocês em alguma área específica de suas vidas.

Durante o processo de criação desse conteúdo, pensamos em mais de sessenta práticas em poucas horas. Selecionamos as que consideramos ser as mais efetivas para esse momento inicial.

Concebemos um percurso que não seja tão intimidador, mas que os tire da zona da conforto. Que alterne abordagens abstratas e profundas com outras diretas e práticas.

 

Vamos passar por sete frentes: Mente, Relações, Corpo são, Trabalho, Dinheiro, Cultura & artes, Estilo.

Vale frisar: esse não é um guia para mudar sua vida e se tornar um vencedor em um mês. O mote "23 dias para um homem melhor" é apenas uma brincadeira, uma fagulha para dar início a processos profundos em cada um de nós.

Pense nisso mais como uma série de conversas que teria com um amigo interessado em ver você avançar do que em fazê-lo sorrir e dar um tapinha nas costas.

Onde estão os bons referenciais masculinos de nosso tempo?

Em nossos pais, tios, avós? Atores, empresários ou atletas famosos, retratados pela mídia? Amigos admirados por outros homens e desejados pelas mulheres? Personagens do cinema e dos quadrinhos?

Muitas vezes, não há nenhuma relação entre um homem ser admirado, bem-sucedido financeiramente, famoso, sedutor e ser mais sábio, ter uma vida mais plena, lucidez, relações mais satisfatórias, capacidade de lidar com crises e ajudar aos outros.

O sujeito famoso pode apenas ser muito bom em seu ofício, obsessivamente disciplinado, paciente e hábil em manipular pessoas, por exemplo. O mesmo pode valer para o grande empresário ou para seu chefe. Assim como o sedutor talvez seja apenas aquele bem treinado em excitar e manipular mulheres, incapaz de sustentar relacionamentos saudáveis.

O avô pode ser um homem cansado e amargurado, uma pessoa cuja sabedoria é um recorte bem restrito e enviesado da realidade, baseado no que "deu certo" para ele – ou talvez nem tenha dado certo, mas ele passar adiante o conhecimento é uma tentativa de seguir acreditando no que fala, pois admitir que uma crença que seguiu toda a vida seja ruim talvez possa ser doloroso demais.

Não queremos resgatar velhos modelos de masculinidade

Se tornar um homem melhor é mais sobre fluidez, abertura, cultivo de boas relações e critérios. E menos sobre se impor, triturar, vencer, rigidez, certezas inalteráveis e ser "macho".

Acima de tudo, é sobre continuidade.

Sobre a capacidade de seguir e perseverar paciente e diligentemente pelos caminhos necessários, movido por motivações amplas e generosas – em oposição à busca por mudanças que sejam "balas de prata", tiros mágicos que prometem tesouros e riquezas ilimitadas.

A pressa e a vida levada como uma série de distrações prazerosas são inimigos do homem que deseja avançar. Infelizmente, a pressa parece ser tratada como algo inescapável e distrações prazerosas parecem ser cada vez mais cultuadas.

Portanto, nosso principal eixo conceitual estará nas práticas de Mente e Relações, que visam propor outras maneiras de enxergarmos e nos posicionarmos no mundo.

Acreditamos que, hoje, os referenciais masculinos que mais recebem atenção estão comprometidos ou não são dignos de nossa atenção, por não nos ajudarem a cultivar sabedoria e relações mais satisfatórias. Em resumo, vidas mais genuinamente felizes.

Se prestamos atenção em meia hora do que a TV, a web e o eco coletivo nos oferece, seremos infestados por falas desconexas de atores, empresários e atletas famosos, por máximas de personagens de cinema ou séries. Sabedorias de microondas.

Os artigos que vamos publicar nos próximos 22 dias são pensados para que te levem à ação.

Cada prática será apresentada de modo breve em um artigo próprio.

Vamos oferecer eixos, um percurso e parceria.

Não queremos que confiem no que dissermos. Preferimos que testem e experimentem cada vírgula. Estamos empolgados e trabalhando com bastante carinho nesse projeto. E talvez ele possa ser o embrião de algo bem maior para a comunidade.

Esperamos que ressoe por aí e queremos ver os relatos, críticas e sugestões de vocês nos comentários.

Amanhã, teremos nossa primeira prática.

Mãos à obra!

* * *

Nota: esse texto faz parte da coleção "23 dias para um homem melhor". Você pode ver a lista com todos os artigos já publicados aqui.

Índice de todos os 23 artigos do projeto:

  1. 23 dias para um homem melhor
  2. Aprenda a parar e cultive mais lucidez
  3. Aprenda a falar e ouvir
  4. Faça um check-up de cuidados pessoais
  5. Substitua um hábito alimentar ruim por um bom
  6. Gaste dinheiro com alguém que não seja você
  7. Transforme seu local de trabalho em um espaço de treinamento
  8. Faça trabalhos manuais
  9. Cultive relações de parceria
  10. Use a moda e o estilo como um recurso
  11. Crie experiências coletivas
  12. Faça um planejamento financeiro que realmente funcione
  13. Seja uma pessoa fácil de se trabalhar em parceria
  14. Use o corpo para se expressar
  15. Seja produtivo usando seu próprio método
  16. Faça check-ups e exames regulares – não deixe para ir ao médico quando estiver morrendo
  17. Aprenda a diferença entre amor romântico e amor genuíno
  18. Amplie seu mundo por meio da cultura
  19. Monte um guarda-roupa básico e matador
  20. Cultive mais autocompaixão, ao invés de mais autoestima
  21. Lembre-se que as relações sempre seguem
  22. Cultive disciplina
  23. Faça uma reserva financeira de emergência

publicado em 30 de Janeiro de 2015, 17:40
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura